Não chorei quando ele nasceu

sexta-feira, outubro 01, 2010Recanto das Mamães Blogueiras

Sempre vejo filmes e novelas que a mãe quando dá a luz ao bebê chora. Não chorei quando ele nasceu.

Chorei muitas vezes antes dele nascer, e muitas mais depois dele nascer.
Antes, chorava com medo de não dar conta do que viria. Hoje, eu choro, pois eu não dou conta, ou acho que não dou.
No mesmo momento que tudo parece bem, tudo desaba.
Meu bebê nasceu lindo, grande, fofinho e rosadinho!
Logo depois que voltamos para casa, ele teve que ser internado novamente por ter icterícia, sei que é normal, mas parecia que eu já estava fazendo algo de errado pra ele, por isto estar acontecendo com um bebê tão pequeno, tão novinho. Sabia que não era minha culpa, mas nada me tirava isso das minhas costas.
Ao dar entrada no hospital, ao tentar amamentá-lo a boquinha dele encheu de sangue. Meu peito rachou, meu mamilo virou frangalhos. Chorei mais ainda, por que simplesmente não conseguia amamentar.
Amamentei enquanto pude. Enquanto aguentei. Tentei, tentei, e nunca foi bonito igual vi em fotos, como eu li, nem como vi tantas outras fazendo.
Foram dois meses, dois longos meses de choro ao amamentá-lo. Cascas de frutas, remédios de todas as espécies, pomadas, chás. Enfim, um dia meu leite secou, de uma hora pra outra, sem menor explicação. E meu bebê chorava de fome, então mais uma vez eu chorei.
Dali pra frente ele parou de chorar.
Eu não.
Voltei a trabalhar, minha mãe ficou doente.
Chorei muito.
Ao deixá-lo com minha sogra, chorava quando entrava no carro, pois estava aliviada e com medo.
Quando ficava com ele em casa, chorava, com medo de não dar conta. E meu filho sorria pra mim todas as vezes.
Por que ninguém falou pra mim, que eu podia sentir isso. Eu não sei como fui aguentando.
Até que voltei ao médico, e ele disse que era depressão pós-parto. Deu um remédio, indicou terapia.
Com o primeiro comprimido que tomei, parei duas vezes no hospital. Alergia. Parei.
Não comecei a fazer a terapia, achei que ia conseguir sozinha. Afinal, eu tinha um bebê lindo, um marido excelente, minha mãe melhorou, qual seria meu problema?
Trabalhei muito... enfiei a cabeça no trabalho.
Logo cedo deixava meu filho com a minha sogra ou com minha mãe e só o via na hora de dormir. Ah sim, ele dorme bem. Do que eu tenho que reclamar?
Chegou uma hora, que não aguentei. Procurei novamente ajuda.
Novo medicamento e iniciei a terapia.
O remédio não me deu alergia, porém, ele também não acabou com o que sinto.
A terapia me fez dizer o que estava engasgado, porém, ainda não estou bem.
Meu bebê começou ir pra escola.
Hoje os dias são melhores do que antes.
Mas não são os dias que eu gostaria de ter.
Choro muito. Tem dia que não.
Hoje eu chorei.

Ana Carolina

VEJA MAIS POSTAGENS

7 comentários

  1. ameiiiiiiiiiiiiiiiii lindo de chorar..rsrsr
    muito emocionante, choro por tantass coisas, mas quando ele nasceu nao cairam lagrimas dos meus olhos, mas por dentro eu chorava d emoção, d alegria, d medo, d agradecimento....
    hoje ainda choro, as vezes sem as lagrimas, mas to chorando por dentro, continuo com alguns medos, muitas inseguranças,
    affffffff

    ser mãe é estar nesta constante instabilidade...

    bjussssssssssssss

    ResponderExcluir
  2. lindo post.
    e as mamas todas choram, sempre, muito.
    é tanta expectativa, tanto o que fazer, a resolver.
    o coração e a cabeça podem não dar conta. o corpo tbm não.
    mas é normal.
    bjo

    ResponderExcluir
  3. Ser mãe realmente não é nada fácil, é um sentimento único. Só quem é mãe sabe o que é!
    A terapia é importantíssima para estabilizar as suas emoções e trazer prazeres para a sua vida!!
    felicidades!
    http://psicologaregina.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Oi querida!
    Me emocionei ao ler o teu post.
    Sabe, todas temos esses momentos...não é fácil mesmo. Pra algumas mamães é mais tranquilo, pra outras menos, mas todas temos momentos assim.
    Eu passei por um momento de tristeza quando perdi minha mãe e minha filha tinha só 2 meses, depois mudei de cidade e fiquei longe de todos, só em casa com ela...me bateu uma tristeza, mas Deus é maravilhoso e providenciou o consolo pra minha vida. Uma amiga muito querida, de outra cidade me ligou e usada por Deus, me disse palavras que alegraram o meu coração, comecei a ver o outro lado de tudo e desde aquele dia a angústia que eu estava sentindo passou.
    Ana Carolina, que Deus te ajude a cada dia, para que possas estar certa que és uma mãe muito amada e que perfeito só é Deus, todas temos falhas e precisamos da Sua graça pra conseguirmos educar e cuidar bem dos filhos.
    Também choro, mas sempre aos pés de Jesus!
    Um beijo e fica na paz.

    ResponderExcluir
  5. Eu penso que se for possível, que toda mãe planeje sua gravidez e leia muito sobre o assunto antes de ter seu bebê.
    Por que acham que existe aquele velho ditado: "Ser mãe é padecer no paraíso"?
    Fé em Deus, otimismo e muita gratidão podem ser um bom começo pra se ter uma vida melhor.
    Genis.

    ResponderExcluir
  6. Lindo este post...
    Muita força para vc!!
    Tb não chorei quando ela nasceu, mas chorei quando a colocaram do meu lado e ela na mesma hora parou de chorar... e então pensei: nossa!! é ela!! é de verdade agora!! é pra sempre!! é minha filha!!
    Cada um reage de um jeito, tb tive uma DPP pequena, pois minha mãe faleceu e minha relação com minha sogra não é das melhores, me sentia muito sozinha e desamparada, ainda me sinto... Talvez ainda tenha uma DPPzinha ainda... sim, choro e choro muito também, por tudo... sim, tb sofri muito com a amamentação e ainda sofro, menos, aprendi a lidar, mas sofro... me sinto uma vitoriosa em minha filha ter 5 meses e estar só no peito, mas só eu e o maridão sabemos o que passo e passei para isso... sinto dores nos mamilos até hj...
    Acho que o que me dá mais força é que estou de licença maternidade e só volto a trabalhar depois que ela tiver 11 meses... uma benção, eu acho.
    Obrigada por compartilhar conosco esta dor... que também é de muitas de nós.
    Conte comigo, se precisar conversar. Meu email está no meu perfil.
    PS* postei nos dois posts o mesmo comentário, tá?
    Beijos carinhosos e solidários!
    Dan.

    ResponderExcluir
  7. Tive muitos problemas na gravidez, foi de alto risco. Fiquei internada um mês antes do parto. Voltei para casa e logo após no dia 23 de setembro induziram meu parto. Foi tanta dor, tanto medo. Fiquei 28 horas em trabalho de parto e consegui ter meu filho. Mas não chorei quando ele nasceu, fiquei preocupada comigo se iria morrer. Assim que sai do hospital tive que votar com ela pois estava com icterícia, tive vários problemas quando estava no hospital com ele. Não conseguia amamenta-lo direito, pensei que estava com resto de parto e que podia ter uma hemorragia a qualquer momento pois estava com plaquetas baixas. Não consigo me lembrar do rostinho do meu bebê, se não existisse fotos não ia me lembrar de nada dele. Hoje ele está com 1 ano e eu continuo triste por isso, só choro e tenho medo de tudo. Me sinto mal todos os dias. Tomo antidepressivos mais não adianta

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar, ficamos felizes!