birra Cris Chabes

Não é Birra é protesto em criancês!!!

sábado, agosto 13, 2011Cris Chabes

Imagem do Google

Quando ainda não era mãe, tinha horror em ver uma mãe arrastando seu filho pelo braço, enquanto esse seguia num chorro irritante, mas sofrido. 
Não entendia o que estava acontecendo, nem pensava no que a criança podia ter feito, mas meu sentimento era de raiva da mãe. Mas bastou ser mãe para entender um pouco do que acontecia....eram as famosas "birras" ....e eu também passei por isso quando meus filhos eram muito pequenos, só com uma diferença.....eu não os arrastava pela rua.....e sim procurava acalma-los e fazer com que entendessem que seu pedido não podia ser atendido "naquele momento".
Aprendi que bastava conversar ....o que nem sempre funcionava.....mas gritar, berrar e "arrastar" a criança definitivamente não resolve. 
Com o tempo eles entendem que não podem ter tudo que querem ou no tempo que querem. 
Segue aqui um texto como orientação de como lidar com essas "birras" das crianças.
Beijocas
Cris Chabes
Imagem do Google

Como lidar com ataques e escândalos

Os pais podem ficar irritados quando seus filhos dão ataques e fazem manha, porque sentem vergonha ou porque acreditam que devem ser capazes de controlar o comportamento das crianças.
Lembre-se de que o seu relacionamento com o seu filho é muito mais importante do que aquilo que os outros podem estar pensando. Se o seu filho der um ataque em público, concentre-se nos seus objetivos de longo prazo* e em dar carinho e referências claras de educação à criança. Tente não ficar muito preocupado com o que outras pessoas pensam.
Além disso, lembre-se de que tentar controlar um escândalo é como tentar controlar uma tempestade. Não é possível. Crianças dão ataques deste tipo porque não entendem a razão de estarmos negando-lhes algo, e porque elas não sabem muito bem como lidar com a frustração. Dar ataque é a forma encontrada por seu filho para dizer que ele está muito, muito frustrado. Se você gritar ou bater nele neste momento, ele apenas ficará ainda mais frustrado. Ele também sentirá medo e acreditará haver sido incompreendido.
A melhor coisa a fazer é esperar. Fique perto para que a criança sinta-se segura enquanto é tomada pela tempestade. Algumas vezes, segurar seu filho com carinho pode ajudar a acalmá-lo.
Quando o escândalo houver acabado, sente-se com seu filho e converse sobre o que aconteceu. Aproveite a oportunidade para ensiná-lo o que são sentimentos, quão fortes eles podem se tornar e quais são os seus nomes. Você também pode explicar o porquê de ter dito “não” e que você entende sua frustração. Diga-lhe o que você faz para acalmar-se quando está frustrado. E certifique-se de haver dito que você o ama, não importa se ele está feliz, triste ou bravo. Depois, passe para outra.
* Segundo o autor, o primeiro passo para a aplicação da disciplina positiva é a definição de objetivos de longo prazo para a educação dos filhos. Objetivos de longo prazo são as metas que os pais desejam atingir quando seus filhos estiverem grandes – e normalmente envolvem o cultivo de um bom caráter, ético, pacífico e amoroso. Objetivos de longo prazo podem entrar em conflito com objetivos de curto prazo, que correspondem àquilo que os pais desejam que seus filhos façam imediatamente. No entanto, o autor explica que pensar nas metas mais distantes é a forma mais inteligente de conduzir a educação das crianças no dia-a-dia.

Fonte: DURRANT, Joan E., Positive discipline: what it is and how to do it, Save the Children Sweden e Global Initiative to End All Corporal Punishment of Children, 2007.

VEJA MAIS POSTAGENS

10 comentários

  1. Oi Cris!

    Esse assunto é algo que tem mesmo que ser tratado, pois quando vemos os filhos dos outros fazendo uma birra, é uma coisa, mas quando o nosso filho(a) é o(a) responsável pelo berreiro, daí o negócio muda de fugura...kkkkkk.

    Tenho que agradecer muito a Deus porque a minha filha foi de fazer pouca birra, mas as que fez eu sinceramente suei....kkkkk. Como eu já tinha lido a respeito e ouvido relatos sobre como proceder, procurei agir sem gritar e sem eu mesma ficar fazendo a birra maior, mas não é fácil. Como um toco de gente numa hora dessas nos dá um baile né?....kkkkk.

    Mas a gente aprende. O negócio é manter a calma e como o autor do texto sugere, depois que a criança se acalmar, conversar com ela e explicar-lhe as coisas. Claro que tem crianças que essa explicação acontecerá mais vezes, outras menos, mas o importante é não desistir, pois eles aprendem e mudam.

    Beijinhos pra você, pra todos que passam por aqui e um ótimo final de semana!

    ResponderExcluir
  2. Olha,minha filha é craque em fazer birra.Se joga no chão,grita,parece q tão matando ela.Semana passada fomos numa quermesse,somente eu e ela,marido estava no trabalho, isso a noite.Tinha 957298577 de gente.Ela queria ir nos brinquedos p idade dela,e ela foi.Mais aí ela queria ir no tromba tromba.Eu falei q não podia pq era p criança maior e t c.Mais não adiantou(as vezes acho q ela tem problema de audição)ela choro o tempo td,não comemos nd,e tds ficavam olhando p mim.Vtd de chinga tds e dizer se nunca viram uma criança chorando.Eu não discuti c ela, deixei ela chorar a vtd.E isso foi mt tempo.Sabia q discutir e tentar explicar de novo q ela não podia ir no tal brinquedo não ia dar ibope.Ela chorou chorou e chorou.Bom,sem outra alternativa,viemos embora!

    ResponderExcluir
  3. Adorei! Embora um pouquinho diferente da fase q estamos, acredito q seja complementar. (http://nanetcommamae.blogspot.com/2011/08/fazendo-manha-ou-testando-limites.html)

    ResponderExcluir
  4. Olá! Post maravilhoso!!! Estou vivendo intensamente essa fase de birras aqui em casa. Meu filho é uma criança super tranqüila, porém, com uma personalidade fortíssima. Chora, grita e SIM, faz birra. Mas só comigo e com o pai... Diversas vezes me questionei em como agir diante de situações complicadas com ele. Briguei, conversei, abracei, chorei, não dei atenção e até já ensaiei os famosos "tapinhas" (admito!) então eu e meu esposo oramos muito, e pedimos ao nosso Senhor uma luz e suporte na hora de educar os filhos, pois além do meu menino-bebê de um ano e três meses, estou quase ganhando a nossa segunda filha (se eu não dava conta de um, pense dois!!!!) aos poucos nossas palavras e atitudes se tornaram ferramentas divinas e hoje quando nos encontramos "encurralados" sempre conversamos, explicamos e acima de tudo, procuramos demonstrar amor mesmo nos defeitos, e tem surtido muito efeito. É difícil manter a paciência, principalmente em público, mas devemos antes de mais nada, sermos exemplo aos filhos!!! Um sábado iluminado à todas!!! :*

    ResponderExcluir
  5. Felicidades para vocês com a chegada da filhota. Tenho certeza de que darão conta do recado.
    Esse momento da birra da criança é difícil, mas passa. O importante é buscar equilíbrio e usar do amor que temos por eles e que Deus nos ajude.
    Um grande beijo
    Cris Chabes

    ResponderExcluir
  6. Bete e Cida, adorei os comentários de vocês. É sempre muito difícil falar sobre esse assunto, pois as pessoas acham que somos cruéis quando a criança começa a chorar que quer alguma coisa e não podemos atender. Mesmo assim, é preciso ter paciência e agir com serenidade (mesmo que as vezes seja muito difícil) pois como disse essa fase passa.
    Um grande beijo para todas vcx
    Cris Chabes
    Um g

    ResponderExcluir
  7. Cris querissima aqui essa fase não ta passando tao rapido quanto eu gostaria...davi da cada show, tem vezes q tenho vontade de entrar num buraco de tanto vergonha...e ele vem se superando viuuuu..rsrsrsrsr
    bjusssss

    ResponderExcluir
  8. Cris, adorei vc ter tocado nesse assunto... olha, JM não é nenhum especialista em birra, mas de vez em qdo me apronta umas! rsrs
    Eu sou tranquila, vc sabe... converso, travo ele no colo e depois passa...rsrs
    Beijão, Genis ♥

    ResponderExcluir
  9. Olá Dani e Genis, sei que essa fase não é fácil e tenho certeza de que vcs duas vão dar um show de amor, carinho e paciência (mesmo que tenham que respirar muito fundo antes rsrsrs)
    Beijocas
    Cris CHabes

    ResponderExcluir
  10. Oi, Cris,
    Que máximo! Estava trabalhando em uma série de posts com esse tema (e esse enfoque), quando vi seu post! Curti tanto e fiquei tão contente com a sincronicidade que incluí o link lá no blog: http://maeperfeita.wordpress.com/2011/08/16/a-linguagem-secreta-da-birra/
    Um beijo!
    Marusia

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar, ficamos felizes!