Colaboradora

Mulher X Mãe

sábado, outubro 13, 2012Recanto das Mamães Blogueiras

Por Luana Macedo, do blog Dona Papinha


Foto de Isabel Becker
Há dois meses que penso em escrever este post, na verdade tenho que admitir, mais é difícil. No primeiro ano da Lara, meus pensamentos saíram um pouco da orbita natural para assumir uma nova, realmente a filhota passou a ser meu sol. Mesmo mantendo uma rotina razoável de trabalho, casa, marido, família e amigos entre meus pensamentos, estava sempre ativo o tema Lara, independente do que estivesse conversando, a cada 15 segundos vinha na mente fralda, mamadeira, papinha, soninho, frutinha. No fim, acho que não me entreguei por inteiro a nenhum outro pensamento nesse primeiro ano.
Independente dos julgamentos, sempre fui bem mulherzinha na questão de vaidade, e depois de ter sido mãe os cuidados básicos que passaram a fazer parte do meu dia a dia, nada mais que isso, o montante da dedicação era todo para a Lara. Com 10 meses ela começou a ir para a escolinha, achei que assim teria mais tempo para me centrar e voltar a ser (psicologicamente principalmente) quem eu era, mas não, para minha surpresa, demorei para me desligar totalmente da pequena no período que estava lá.
Bem, para minha sorte e de todos, acredito que devia estar meio chata, como que por mágica, na semana que a Lara completou 1 ano de idade senti que meu eu interior voltou a ativa, e todos os assuntos que me interessavam anteriormente voltaram a borbulhar em minha mente, não sou mais monotemática, acho que o blog ajudou nessa “desintoxicação” e também ter visto a Lara fazer 1 ano de vida com saúde e cada vez mais esperta me fez ver que ela vai seguir seu caminho, vou ajudar, mas sou coadjuvante na vida dela, sou a artista principal é na minha.
Tive uma briga interna de mãe e mulher, diferença que sempre achei importantíssima haver, mas na prática me foi mais difícil aplicar. Mãe é mãe, ser sagrado, mas humano também, e sou esposa, e o quero ser para sempre, assim tenho que dar atenção ao casal, e sou mulherzinha e amo “futilidades” que são totalmente necessárias.
Voltei a ser eu mesma, e agora acho que serei ainda melhor como mãe, pois passarei o lado mulher! Não sei se todas as novas mães passam por isso, por observação superficial acredito que sim, essa foi a minha experiência, e que bom que já passou.  
Luana por Luana: Sou mãe e nutricionista, estou tentando passar a prática e o estudo para as demais mamães. Meu blog é com sentido de orientação, é extensão do site que é de minha empresa. 

Assim como a Luana, você também pode participar deste espaço como colaboradora, envie seu texto para o nosso email: recantodasmamaes@yahoo.com.br 
e aguarde o nosso contato.
Com carinho, 
Equipe Recanto

VEJA MAIS POSTAGENS

8 comentários

  1. Gente do céu posso jurar que fui eu quem escreveu esse texto partindo dos acontecimentos exatamente iguais!!!! Kkkkk
    Também tenho pensado muito em escrever sobre como foi difícil para mim o primeiro ano praticamente sem identidade, mas ainda não consegui. Engraçado com admitir isso é difícil né?! Bom, vc me encorajou e fez isso de forma magistral!!! Adorei! Tudo em seu tempo né?!
    Beijos
    www.jeitinhos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. No inicio sempre tem essa fissura, de só falar no filho, mas deois a gente vai ajustando a nossa vida e voltando a pensar um poquinho mais na gente, mas acho que o filho sempre vem a nossa mente, em proporções menores, mas vem!

    ResponderExcluir
  3. Luana,acredite querida!
    Todas nós passamos por isso! rs
    E pra todas tb é difícil admitir isso q vc expôs muito bem!
    E se saiu muito bem dessa 'crise' tb!
    Adorei,beijinho!

    ResponderExcluir
  4. Luana. A maternidade tem mesmo essa linha tênue entre continuar a ser mulher ou não. Gostei muito de seu relato. Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Maternidade é uma experiencia mto mais muito mais intensa do que nos contam! Vivo passando por esse dilema!!

    ResponderExcluir
  6. Ser mãe é um dom, ser mulher é da natureza.
    Nascemos mulheres
    Não podemos deixar de se cuidar mesmo após a maternidade
    Continuamos as esposas, filhas, companheiras, trabalhadoras mesmo após o nascimento dos bebês
    Então um pouco de vaidade não faz mal a ninguém
    Beijocas
    Cris Chabes

    ResponderExcluir
  7. Luana, que texto maravilhoso!

    Me deu inspiração para postar sobre isso ... eu sempre fui bem "patricinha", gastava todo meu dinheiro com roupas, maquilagem, salão de beleza. Engravidei e, por incrível que pareça, foi quando minha filha estava para completar um ano engordei horrores e fiquei imensa! Minha auto estima desapareceu eu não meu lado mulher foi jogado no lixão da novela, hahaha!

    Consegui perder um bom peso mas longe do que era antes da maternidade, mas o tempo me fez enxergar que eu era uma mulher, tenho filha e marido e precisava voltar a me cuidar, hoje procuro roupas que me valorizem e que me façam aceitar quem eu sou hoje!

    Parabéns ...

    Beijos, Má
    www.monmaternite.com

    ResponderExcluir
  8. OI LUana, adorei o seu texto aqui no Recanto. Essa briga interna entre mãe x mulher é supercomum. Acho que todas nós temos. E fico feliz pelo seu clique ter sido agora com a sua filhota com uma ano. Eu confesso que o meu demorou bem mais.
    beijos
    Chris
    http://inventandocomamamae.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar, ficamos felizes!