Luto Mamãe Marcella

Sem sequer um adeus ...

quarta-feira, janeiro 30, 2013Mon Maternité

Passei o dia inteiro pensando num assunto para esse post, um assunto que envolvesse toda a blogosfera, que envolvesse papais, mamães e responsáveis por frutinhos, que envolvesse qualquer pessoa que navega pela internet e, por algum acaso caísse aqui no Recanto das Mamães Blogueiras ... só um tema me vinha a cabeça: Santa Maria.


Se por algum acaso alguém esteja alienado de toda essa tristeza, vou tentar resumir. Na madrugada do último sábado para domingo, uma boate na cidade gaúcha de Santa Maria pegou fogo e mais de 230 jovens morreram e centenas foram internados, desses, muitos em estado grave. Acredita-se que tudo começou por causa de um show pirotécnico promovido pelo vocalista da banda, que, ao atingir o isolamento acústico do teto, que era de espuma, uma pequena faísca logo se espalhou e tomou conta no teto, mas dando origem ao incêndio e a muita fumaça, o que provocou 90% das mortes: asfixia! Na hora que os jovens tentaram sair da boate, os seguranças fecharam a única porta achando que estes queriam sair sem pagar, quando eles viram a fumaça é que liberaram a saída, mas já era tarde demais, muitos já haviam desmaiado, muitos já estavam caindo sobre os outros e, muitos já estavam sendo queimados.

Só de escrever isso, eu já fiquei com dificuldade de respirar, sinto cheiro de fumaça, como se estivesse no meio de um incêndio ... eu tento, mas é impossível imaginar o que mais de mil jovens viram e viveram. 

Há uns dez anos, eu fui fazer café para minha mãe, filtro de papel, coador e garrafa térmica. Quando coloquei a água fervendo no coador, não sei como nem por que, este perdeu o equilíbrio e caiu sobre meu corpo. Só lembro que gritei muito. Meu pai era o único que estava comigo em casa, arrancou minha saia, colocou uma toalha encharcada de água e ligou a água fria e encheu a banheiro, fiquei horas mergulhada na banheira amenizando a dor de uma queimadura na coxa, barriga e genitais. Eu sofri, eu desmaiei algumas vezes com a dor e, no hospital, fui informada que na barriga e genitais, o tecido de algodão protegeram, então foi um pequena queimadura; na perna, como a saia era de tecido sintético, foi uma queimadura entre primeiro e segundo grau. Fui durante trinta dias, diariamente no hospital fazer curativos, foi tudo horrível.

Eu tento, diante dessa situação pensar o que é ter o corpo sendo queimado por inteiro, misturando a dificuldade total em respirar, com gritos de desespero, pânico e dor ... deve ter sido o caos!

Meu post de hoje não é pedindo justiça dos governantes e autoridades, meu post de hoje é pedindo para que nós, mamães, papais e responsáveis pela vida dos nossos frutinhos possamos olhar a vida com olhos fragilidade, afinal, esse episódio nada mais é do que a amostra mais clara da fragilidade da vida.

Vi uma entrevista de uma mãe que perdeu um filho e estava com o outro internado em estado gravíssimo, e ela disse que deu tchau para os filhos dela por que eles estavam indo se divertir, estar junto com amigos celebrando a juventude e a felicidade. Ela jamais imaginou que aquele tchau seria um adeus.

Não é viver a vida como se não houvesse amanhã, fazendo loucuras e insanidades, não estou dizendo isso ... quero propor aproveitar melhor os momentos que a vida nos dá! Se a gente pode beijar, que a gente beije muito; Se a gente pode amar, que a gente ame muito; Se a gente pode curtir; que curta muito; Se a gente puder ensinar, que ensine muito; Se a gente for compartilhar, que compartilhe muito; Se a gente for viver, que viva muito!

Infelizmente, todos nós perdemos um pouco da nossa alegria com essa tragédia. Não precisamos ser parentes, amigos ou sermos conhecidos de alguma vítima. Não precisamos ser de Santa Maria ou gaúchos. Basta sermos seres humanos com um coração sensível para sentir que perdemos um pouco da nossa alegria.

Peço a Deus que de força e paz para os familiares e amigos da vítimas.






VEJA MAIS POSTAGENS

14 comentários

  1. Compartilho dos seus sentimentos e da sua impressão da vida: que ela é efêmera e por isso cada minuto é precioso e deve ser valorizado e aproveitado. Sobretudo, que sejamos gratos a Deus pela saúde, pela família, pelas oportunidades, pelas coisas corriqueiras que muitas vezes não valorizamos, pois tudo vem dEle. Um abraço e ótima quarta-feira.
    Flávia
    www.gravidinhasemaezinhas.com
    @gravidemae

    ResponderExcluir
  2. Marcella, doeu em mim o que aconteceu com você. Que coisa horrível.
    Eu também sofri uma queimadura horrorosa e sempre fico muito preocupada com o Luiz Felipe. O cuidado com as coisas que queimam nunca é demais. Bastam segundos para o desastre estar feito.
    Um beijo

    ResponderExcluir
  3. Depoimento emocionante. Estou sem palavras para expressar o que todo esse horror me causou. Que essas familias consigam encontrar conforto um dia para essa dor.

    ResponderExcluir
  4. Má, foi terrível mesmo essa tragédia em Santa Catarina, muito triste... que Deus possa consolar os familiares!Que triste isso que aconteceu com você, amiga, que sofrimento...
    Como você colocou, que possamos fazer todas as coisas da melhor maneira possível, aproveitar ao máximo o tempo que temos com nossos filhos e pessoas que amamos.
    Muito lindo seu texto, muito importante sua reflexão.
    um beijo, Lauri

    ResponderExcluir
  5. Foi terrivel mesmo.E essa mulher que deu entrevista acreditoque foi a mesmo que eu vi em Ana Maria Braga.Se foi o segundo filho acabou morrendo e ela ja tinha perdido o marido a dois anos e a mãe a 3 messes atraz.
    E duro tudo isso so devemos rezar e pedir acalento as familias.
    Um grande beijo!

    ResponderExcluir
  6. Olá Marcella, p quem tem filhos adolescentes que não saem dessas baladas a preocupação só aumenta, por que nessas horas vemos o qto somos impotentes, no dia a dia estamos sempre protegendo nossos filhos, mas qdo saem da posta p fora perdemos o controle, deixamos de ser super heroínas, entregamos nas mãos de Deus mesmo! Agora tomam providencias, fiscalizam, recolhem alvará, mas daki a pouco vem outras noticias outras cobranças e as pessoas vão negligenciando novamente! O jeito é orientar os filhos, tive uma conversa séria com minha filha (18 anos) sobre se proteger e se prevenir em situações de perigo, não posso impedi-la de aproveitar a juventude dela, só posso orientar monitorar e rezar! Bjooosss

    ResponderExcluir
  7. Marcella, não sabia que você já tinha passado por isso com o café. Realmente difícil

    E sobre o assunto de Santa Maria, não tenho muitas palavras. Apenas que Deus conforte o coração de cada parente porque só de pensar eu fico como se fosse um engasgo.

    Terrivelmente preocupante!
    Beijos
    Lilia

    ResponderExcluir
  8. Tragédias como esta nos trazem de volta à realidade cinza de que quão efêmero é este mundo. Para nós, mães, a dor parece ainda maior. Imaginar a situação pela qual tantos pais estão passando é de doer e o coração. Dá vontade de colocar nossos filhos numa bolha, dando o máximo de proteção.
    Eu tenho pirado um pouco desde que minha filha nasceu. Principalmente com o assunto segurança. Afinal, moramos no RJ, cidade só aparentemente pacificada.
    O desejo de que essas famílias sejam confortadas é imenso. E principalmente de que essas fatalidades tão fáceis de ser evitadas parem de acontecer.

    Pati

    http://confissoesdarecemcasada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Querida, quero te fazer um convite muito especial: passa lá no meu blog e participa da nossa blogagem coletiva sobre alimentação saudável na infância, que será no próximo domingo, dia 10/02. Vamos nos unir para falar sobre esse assunto tão importante e tão preocupante hoje em dia.
    Vou esperar sua participação! Você não pode faltar!
    Beijos!

    www.asosmamaenadia.com

    ResponderExcluir
  10. Muito triste mesmo , naquele domingo acordei as 9:30 da manhã com os noticiários no rádio, como moro no RS região campanha distante um pouco de santa maria , aqui só se falava nisso porquê morreram 4 pessoas daqui uma delas era amigo do meu marido, nessas horas nos colocamos no lugar daquelas mães que não acreditavam no que tinha acontecido, pensamos e se fosse nós , irmão , amigo, filho.
    Que deus cuide de cada familia

    ResponderExcluir
  11. Olà Marcella e meninas
    Estava tão difícil de falar desse assunto. Todas sabem que tenho filhos nesta faixa de idade (27 2 22 anos) No domingo não conseguia comer. Meu coração doia como se fosse comigo. Pensei em cada mãe e cada pai e na dor de todos os amigos e familiares.
    Hoje recebemos a notícia de boas melhoras na saúde do Rafael e por isso só tenho a agradecer a Deus. Ao mesmo tempo quando li seu post fiquei muito emocionada com a dor de perder um filho
    Só Deus para confortar
    Adorei seu texto
    que Deus abençõe nossos filhos e os familiares dos filhos de Deus que morreram nesta tragédia.
    Beijocas
    Cris

    ResponderExcluir
  12. Doeu mesmo Marcella...

    Sempre tive tanto medo de queimadura. E você já passou por isso sabe muito bem como é né? Só mesmo Deus pra confortar as famílias nessa hora tão difícil.

    Bj.

    ResponderExcluir
  13. Marcella que bom que seu pai estava com vc e deve ter sido bem dificil.
    Não tem uma vez q não choro qd leio da tragédia. Acho q nunca esqueceremos. Estou rezando pelos que estão no hospital pra que fiquem bem e rezo pelas familias e amigos dos que morreram. Qd penso neles imagino o pavor, e me dá uma tristeza muito grande. Foi uma tragédia que não tem explicação. Espero que nunca mais aconteça algo assim.
    Que Deus ajude todos nós.
    http://www.matheusmeucoracao.com/

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar, ficamos felizes!