Colaboradora Reflexão

As mães sumiram das pracinhas

sábado, junho 01, 2013Recanto das Mamães Blogueiras

Por Jamile Nery, do blog Mãe para mães




As mães sumiram das pracinhas. As mães sumiram do playground. Estão sendo substituídas pelas babás. 


As mães não querem acordar cedo. As mães não querem deixar de curtir a noite. E os filhos vão ficando com as babás.

As mães querem ir ao shopping sem ser atrapalhadas. As mães querem viajar sem ser incomodadas. Então vão ao shopping e viajam... levando as babás!

As mães não sentam para brincar. As mães não contam historinhas à beira da cama. As mães não botam mais o próprio filho para dormir. As mães não trocam fralda nem auxiliam o filho no banheiro.

Essas mães se deixaram substituir pelas babás. Não, não é falta de tempo. Pouco tempo todas nós temos. Seu tempo pode ser curto, mas bem aproveitado.


Imagem: Uol Mulher
"A função da babá deveria ser dar suporte aos pais nos cuidados com as crianças. Mas não são poucas as famílias que delegam as próprias responsabilidades a essas profissionais. Até mesmo nos fins de semana, em que boa parte do tempo livre deveria ser dedicada aos filhos, há pais que não abrem mão de sua presença: no parque, no shopping, na festinha de aniversário dos amigos ou outro passeio qualquer, lá está a babá dando comida à criança, levando-a ao banheiro, contando historinhas ou brincando com ela" - Por Heloísa Noronha, Uol Mulher: "Delegar a criação dos filhos a babás pode dificultar vínculos entre crianças e pais".

É claro que no mundo de hoje, muitas de nós precisamos ter babás. Mas existe uma diferença muito grande entre ter babás que auxiliam as mães e ter babás que substituem as mães. Quem leu o post que escrevi "Filhos das Babás" sabe muito bem do que estou falando!!


Também não adianta matricular o filho na escola mais cara, comprar os brinquedos mais modernos, vestir com roupas de marca, colocar tv e vídeo game no quarto. Criança quer amor e atenção. Criança quer a mãe e o pai. Criança quer a família toda. E é tão bom quando os pais querem isso também. Não há nada mais gratificante na vida do que um filho!

E foi com base no tema "Menos presentes, mais presença" que o grupo Infância Livre de Consumismo pautou sua campanha do Dia das Crianças. Vale muito a pena ler o texto da campanha!!



EPISÓDIOS...

Recentemente, vivenciei alguns episódios de mães iludidas - aquelas que acham que a babá está realmente tomando conta do seu filho. Essas babás criticavam as próprias patroas e a maneira como cuidavam (ou não cuidavam!) dos próprios filhos. 


Em um dos episódios, uma criança de 3 anos brincava de pegar objetos na beira da piscina. A mãe estava ocupada conversando com as amigas de costas para o filho. A babá estava cuidando da irmã do menino. Quando foi abordada por um adulto para que observasse o perigo, simplesmente disse que avisassem à mãe, porque aquela criança era desobediente e ela não ia se responsabilizar. Ao ser avisada, a mãe respondeu: "A babá está lá olhando". Não estava! 

Em outro episódio, enquanto a mãe ficava sentada durante um aniversário de criança, comendo todos os salgadinhos que serviam, sua filha - um bebê de menos de um ano - passeava no colo na babá e dividia lambidas do picolé. Ao ser avisada por mim, ficou perplexa! Mas não tirou a bunda da cadeira para salvar a filha das bactérias alheias (já contado em "O que os olhos não vêem...").



Cada um decide seu caminho, mas não se perca nem esqueça que o filho é seu e não da babá! E isso fará uma grande diferença para ele e para você.

Jamile Nery é mãe de João do e Pedro. Formada em comunicação social e marketing. Escritora por hobby. Diretamente de Salvador/ BA.

VEJA MAIS POSTAGENS

10 comentários

  1. Voltem mamães para a pracinha....afinal, criança cresce tão rápido!

    Muito valioso esse tema!

    www.leticiapsicóloga.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Excelente reflexão, Jamile! Eu sempre tive a preocupação de não deixar que a babá me substituísse. Porque é muito fácil a gente delegar essas responsabilidades. E amém que sempre usufrui da ajuda mas como auxílio mesmo e jamais como substituição. Fico muito chocada quando vejo uma criança preferir o colo da babá ao da mãe. Se isso acontece é porque a criança se sente mais segura com uma estranha do que com quem lhe colocou no mundo e isso deve ser repensado com urgência! Nos dias atuais, o auxilio é imprescindível para muitas familias, mas, a linha entre auxilio e substituição é tênue. Deixar de participar da vida social do filho (na pracinha, no playground, nas festas infantis) terá repercussão no futuro. Aliás, a lei do retorno é certa. Nossas ações hoje serão sentidas amanhã, positiva ou negativamente. Parabéns pelo texto!
    www.maenopaisdasmaravilhas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Muito bom esse texto... não tenho babá e nem teria... em último caso, poderia ter alguém para me ajudar com a casa, roupas, limpeza, comida (!!!).... mas meu filho eh minha responsabilidade!
    Bjo

    ResponderExcluir
  4. Gostei muito do texto Jamile, pois infelizmente isso vem acontecendo.
    Tenho uma conhecida que trabalhou alguns anos como babá de um menino. Essa criança acordava a noite chorando, pedindo por ela. A mãe sempre muito ausente, com muitas viagens e acabou deixando os primeiros anos de vida do filho confiados a ela, uma pena. Sorte que essa babá é muito atenciosa, mas nada substitui o amor e o cuidado da própria mãe.
    Eu fiz questão de cuidar da minha filha, pois passa tão rápido, logo crescem e quem não curtiu, vai sentir falta um dia.
    Beijos e tudo de bom.

    ResponderExcluir
  5. Do meu filho eu que faço as coisas pra ele não tenho babá, não mesmo que estivesse ia quere participar das coisas dele eu ajudo a escova os dentes só não dou a comida mas bem que queria porque ele comem com a mão, e o shop confesso que vou no shop e não na praçinha
    www.samukatraquina.blogspot.com.br espero sua visitinha lá obrigad e paz no seu coração.

    ResponderExcluir
  6. Obrigada a todas! E vamos juntas fortalecer essa campanha pelas mães presentes!

    Beijos,

    Jamile
    Mãe para Mães
    www.maeparamaes.com
    www .facebook.com/maeparamaes

    ResponderExcluir
  7. Minha opção foi ficar sem babá, realmente minha vontade era cuidar todos os minutos da Ton. Mas hoje em dia, na escolinha eu acho uma delícia poder sentar e descansar. Acho que cada mãe sabe o que é mehor para si e para seu filho. O que importa é qualidade (mais do que quantidade). Beijooos
    http://antonellaesuaboneca.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Acredito que seja complicado para alguns pais terem de abdicar desse tipo de ajuda. Mas penso que tem de haver equilíbrio em tudo. É realmente arrepiante ver uma criança correr para a babá para receber auxilio quando os pais estão disponíveis.

    ResponderExcluir
  9. Olá, querida
    É que as pracinhas estão cheinhas de vovós... ou similares... tenho notado isso...
    Pais trabalham pra manutenção e não tem o tal do tempo pros filhos... que dirá pra pracinha... é pena!!
    Eu curti essa idade com meus filhotes...
    Bjm de paz e bem

    ResponderExcluir
  10. Excelentes esses posts. Amei o blog ,já estou seguindo.

    Vou colocar na minha lista de blogs amigos!

    Andréia. Obrigada pela visita e se quiser,siga-me tb.


    Beijos e lindo domingo

    Donetzka

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar, ficamos felizes!