Amor filhos

O amor se multiplica

quinta-feira, agosto 29, 2013Cléo Moretti

“É só o amor, é só amor, que conhece o que é verdade, o amor é bom, não quer o mal, não sente inveja ou se envaidece…..”

Durante minha adolescência ouvia muito as músicas do Legião Urbana e uma em especial tocava meu coração. Mas eu não tinha muita certeza do que era realmente o amor…
Era gostar de alguém? Era querer estar junto? Era sentir falta? Era ouvir uma música e lembrar? Sentir um cheiro e pensar em alguém? O que era mesmo o amor?
O tempo passou, muitas outras coisas aconteceram, me casei e a leitura escolhida para selar esta união foi a mesma da música que eu ouvia aos quatro ventos. Corintios 13. Mas a essa altura eu já acreditava saber o que era o amor, pensava que sim!
Então 4 anos depois o AMOR nasceu de mim! Acordou numa manhã de maio, como uma flor que desabrocha lentamente ao piscar dos olhos. Fez-se naquele momento o elo mais puro que pude sentir!
Davi, o Amado, nasceu e me fez descobrir o que o amor significa.
Foram dois anos intensos de entrega única. Até descobrirmos que o amor poderia se multiplicar em nossas vidas em forma de divisão!
Foi assim em meio a um turbilhão de novidades que chegou a pequenina Cecília, capaz de dividir e multiplicar nosso amor.
E aquela mãe que teve medo de não amar da mesma maneira, da mesma forma e do mesmo tamanho de amor, rendeu-se a um amor novo, um amor sem divisas e sem diferenças, que é tão igual e tão diferente. Pois ser mãe de menino é tão diferente do que ser mãe de menina. Não sei explicar, mas existe uma magia diferente no ar. Um sentimento misterioso que esta ali e você não pode vê-lo, nem toca-lo, nem senti-lo, mas ele está ali.
Muitas e muitas vezes fico a me perguntar se os amo de maneira igual, pois eles são tão diferentes. Será que eles medem meu amor?
Procuro sempre tratá-los do mesmo modo, mas sempre respeitando suas particularidades.
Sou uma mãe que pensa a frente. Crio meus filhos pro mundo, quero que sejam fortes e capazes de enfrentá-lo sem medo. Não posso criá-los numa redoma de vidro, pois ninguém vai passar a mão na cabeça deles o dia que eu faltar. Acredito que amar não é sufocar nem superproteger, e sim respeitar, instruir, instigar, incentivar.
Ser mãe de dois é um desafio diário, ainda mais, mãe de dois com idades assim tão próximas, e gêneros e gênios tão diferentes. Mas eu sou feliz assim, eles me desafiam todos os dias a ser uma pessoa melhor!


* Texto publicado inicialmente AQUI
Beijocas a todas!

VEJA MAIS POSTAGENS

13 comentários

  1. Oi Cléo, hoje eu to tão sensível e vem vc com este texto lindo e tão verdadeiro e apesar de ser mãe de duas meninas uma de 17 anos outra de 1 ano e 9 meses, sinto que o amor é intenso mas diferente, acho que por conta das estações da idade.

    bem to chorona então nem vou escrever muito

    bjs

    Gélia

    ResponderExcluir
  2. Lindo, lindo , lindo post, vim aqui conhecer o seu cantinho ou o cantinho de vocês, rs adorei e voltarei mais vezes!
    Bjs ;*

    meu-pequeno-guilherme.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Cléo que lindo isso mesmo
    ser mãe de dois é um desafio
    que nos faz refletir
    sempre o que estamos fazendo
    tentamos fazer tudo da melhor maneira
    aqui em casa faço de tudo pra minha mais
    velha não sentir ciúmes da mais nova rs

    linda noite bjs

    http://sermamaepelasegundavez.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Ser mãe de dois é um grande desafio e penso mesmo que nesse caso o amor não tem que ser dividido e sim multiplicado.
    Adorei o texto.

    Carlah Ventura
    Blog:Intensa Vida

    ResponderExcluir
  5. No meu caso o amor é multiplicado por cinco, com a mesma intensidade. Cada um tem sua PERSONALIDADE, seu jeito, não é nada facil, mais sou feliz por tê-los. E eles me completam

    http://soumaedecinco.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. O amor se multiplica sempre.
    Amo meus filhos.
    Abraço,
    Toninha
    http://www.educar-oprimeiropasso.com/
    http://toninha-ferreira.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. O amor se multiplica sempre.
    Amo meus filhos.
    Abraço,
    Toninha
    http://www.educar-oprimeiropasso.com/
    http://toninha-ferreira.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Que texto lindo! Ainda tenho só uma filha mas imagino o conflito interno que seja esse negócio de demonstrar amor pros dois filhos sem que um se sinta menos amado que o outro. Nós, mães, simplesmente amamos! Não importa como e quanto!
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  9. Cléo,
    Passei a gravidez inteira preocupada com isso.
    Hoje batem 2 corações simultâneos em meu peito!
    Beijocas
    Aline
    http://bibliotecamirim.blogspot.com
    http://festascriativasbyalinegago.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Olá, Cléo,
    bela postagem sobre o amor materno!
    Tenha um ótimo fim de semana e abençoada nova semana!
    Celina

    ResponderExcluir
  11. Amor atrai amor e ele só aumenta...lindo o post... o amor pelos filhos é o maior amor do mundo...

    www.reinomae.com

    ResponderExcluir
  12. O amor de uma mãe por os seus filhos deve ser algo mágico né? Só vou entender quando tiver os meus, filho é uma dádiva na vida de qualquer mãe de verdade <3

    ResponderExcluir
  13. O amor de mãe é incondicional!! Único!

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar, ficamos felizes!