Mãe Adotiva Mamãe Kellen

Eu, Filha e Mãe Adotiva...Felicidade aos Tropeços...

quinta-feira, junho 05, 2014Kellen Bittencourt ( Trilhamarupiara)

                         


Felicidade aos Tropeços

Minha mãe era linda mas foi casar justamente com o maior Dom Ruam da cidade. Só tocava violão, vivia rodeado de mulheres e não trabalhava. Minha avó não queria o casamento, mas ela teimosa casou-se com meu pai.

Coitada da minha mãe sofreu como um cão, teve treze filhos, conseguimos sobreviver na maior pobreza do mundo, vivemos até nas calçadas, com o tempo ela ficou completamente doente, nesta época fazia crochês para vender.... 

Não demorou muito tempo e ela ficou tuberculosa, doença incompreendida naquela época, tentaram até matá-la no último andar de um  hospital. 

Meu pai então resolveu doar seus filhos e eu acabei ficando com o irmão dele, casado com uma italiana, lembro-me do dia em que ele me trouxe: tinha 2 lindas tranças e vestido e sapatinho de crochê que minha mãe fazia.

Quando cheguei, minha tia não deu muita bola, mas ele abraçou-me com carinho e me acolheu, não era uma família de posses mas vivia com decência...
Passados 2 anos meu pai foi me buscar , talvez para pedir esmolas para ele. Meu tio então nos levou ao fórum. Sabe o que o juiz falou? Menina, com quem você quer ficar? Eu corri e abracei as pernas do meu tio, o juiz mandou meu pai embora, fizeram lá um papel nem sei de que, e então ele desapareceu.

Eu fui crescendo, mas minha tia era muito brava, apanhava muito, queria que me vestisse como dondoca e eu não gostava, mas meu tio era o pai que pedi a Deus...
Eu era muito bonita e inteligente desde criança, sempre a primeira aluna da classe e isso o envaidecia muito.

Cresci e então tive vontade de morar em uma metrópole, mas sabia que só poderia sair de casa casada, como sabia que tinha um primo que gostava de mim e como eu era e sou muito arrojada, pedi-o em casamento. Três meses depois já estávamos casados, não pude ter filhos, só se fosse por uma inseminação artificial.

 Meu marido ficou doente do coração por que  fumava em exagero.
O tempo passou, sabia que ele ia morrer então resolvi adotar um filho,  quando ele morreu ele tinha apenas 3 anos. Depois de um ano da morte de meu marido voltei para a cidade de meus pais para trabalhar e cuidar da minha mãe/tia que já estava muito doente e logo  morreu,

Enfim fiquei órfã outra vez, mas a esta altura já estava casada novamente e meu filho crescendo com saúde...

Foi uma luta árdua para estudá-lo mas hoje ele é uma pessoa de sucesso e eu me considero a mulher mais feliz do mundo.

Fui filha e mãe adotiva


Depoimento emocionante recebido por e-mail de uma mãe que pediu para não ser identificada!  




Aproveito para convidar a todos os leitores e leitoras do Recanto a participarem do sorteio que está rolando no meu blog particular,  um Kit com Duas Frasqueiras de Viagens, clique aqui  e participe!!!



VEJA MAIS POSTAGENS

6 comentários

  1. Lindo depoimento...a vida tem seus caminhos e às vezes não entendemos bem.
    Que bom que ela transformou uma experiência negativa em positiva e encontrou a felicidade.
    Camila Vaz

    ResponderExcluir
  2. A luta foi grande, mas Deus nunca dá uma cruz maior do que a que podemos carregar, e ele sempre nos dá a recompensa, se não temos mão fracas e seguramos na mão dele.

    Adorarei que conheçam meu Blog.
    http://mamaetambemsecuida.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Bonito depoimento.
    Obrigada por compartilhá-lo.
    Abraço da
    Celina

    ResponderExcluir
  4. Olá. Lindo depoimento.
    a vida é cheia de obstáculos e precisamos ser fortes para seguir em frente.
    Ah... Está rolando sorteio no meu blog. Participem!!!
    bjs, Pri
    http://maesemfrescura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Oi querida , essa história é minha, só que eu adotei um menino e não menina que hoje é um lindo crioulo dos olhos verdes: economista, contador, bom emprego e poliglota
    Muito obrigada por contar a minha história. Eu venci e sou feliz
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar, ficamos felizes!