Cris Chabes Gravidez

Dia nacional de Triagem Neonatal ou Teste do Pezinho - 6 de junho

sábado, junho 04, 2011Cris Chabes


O próximo dia 6 de junho é o Dia Nacional do Teste do Pezinho e também comemoração de dez anos do Programa Nacional de Triagem Neonatal, criado pelo Ministério da Saúde, para possibilitar tanto o diagnóstico quanto o tratamento precoce de quatro importantes doenças genéticas, identificadas na coleta de gotinhas de sangue do calcanhar do bebê, logo após o nascimento.
A bem sucedida iniciativa foi possível graças aos esforços da APAE DE SÃO PAULO, que trouxe, em 1976, o exame para o Brasil, e lutou posteriormente por sua obrigatoriedade em território nacional.
Teste do Pezinho, em sua versão básica, diagnostica quatro patologias metabólicas e genéticas: a Fenilcetonúria, o Hipotireoidismo Congênito, a Anemia Falciforme (e demais Hemoglobinopatias, doenças do sangue) e a Fibrose Cística. Se não tratadas a tempo, as duas primeiras doenças citadas podem desenvolver a Deficiência Intelectual e as demais, causar prejuízos à qualidade de vida do bebê. Por este motivo, é essencial que se realize o exame na primeira semana de vida da criança, após 48 horas do nascimento.
O governo brasileiro por meio do Ministério da Saúde, com a implementação do Programa Nacional de Triagem Neonatal, vem observando resultados que mostram um programa com índices de cobertura populacional crescente e uniforme em todo o país, mesmo considerando a diversidade e característica brasileira. Durante esses dez anos, a APAE DE SÃO PAULO já triou mais de 13 milhões de recém nascidos, prevenindo que as crianças diagnosticadas desenvolvessem deficiência intelectual e garantindo a melhora na qualidade de vida.
O laboratório da organização é responsável por 50% dos testes realizados no estado de São Paulo. No ano passado, mais de 325 mil bebês foram triados, sendo as Hemoglobinopatias os casos mais diagnosticados, seguido pelo Hipotiroidismo Congênito. 

VEJA MAIS POSTAGENS

2 comentários

  1. Esse teste é muito importante mesmo.

    Lembro que me deu uma dó quando minha filha foi fazê-lo, nossa! É que a moça era novata no posto, pelo que pareceu, pois picou e picou o pé dela e nunca saia sangue suficiente pro teste. A menina estava roxa de tanto chorar, quando chegou outra enfermeira e foi fazer, rapidinho saiu bastante sangue.
    Eu quase chorei junto com a minha filha...rsrsrs. Tadinha, se de primeira já fosse a outra enfermeira, seria rápido e pouparia tanta dor, mas sempre tem um que serve de cobaia pra quem está aprendendo.

    Mas não tem jeito, é pro bem deles, temos que fazer.
    Beijinhos e um ótimo final de semana.

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar, ficamos felizes!