Comportamento Mamãe Lauri

Lidando com o medo infantil

quinta-feira, outubro 06, 2011Lauri Sousa



O meu filho tem dois anos, quando era menorzinho tinha medo de guarda-chuva aberto, com o tempo esse medo foi passando. Ele mesmo foi enfrentando o medo, pedindo para gente abrir o guarda-chuva, ficava olhando de longe, as vezes chegava mais perto...
O medo atual, além do medo de ir ao médico, é de uma música, na verdade um vídeo de um hipopótamo e um cachorro dançando a música “The lion sleeps tonight”, que tem no youtube.  Mesmo com medo, ele pede o tempo todo para gente colocar, fica perguntando pelo hipopótamo:
-cadê popótu?
-popótu é bôzim?
-Niel quê vê popótu!
- você gota du popótu?
E assim vai enfrentando o medo...
O motivo deste post é que tenho observado que muitos pais, incluindo eu, nem sempre sabe exatamente como lidar com os medos do filho. E lendo sobre o assunto, decidi compartilhar com outros pais que possam estar passando ou venham a passar por essa situação.
Se o medo já é difícil para o adulto, imagina para uma criança...
Na verdade sentir medo faz parte da natureza humana, faz parte do instinto de sobrevivência de cada um e é necessário para nos afastar do perigo. O medo pode ser inato (a criança nasce com ele) ou aprendido/passado de pais para filho.
O medo pode provocar os mais variados comportamentos na criança, muitas vezes ela não consegue expressar ou falar sobre o que está sentindo.
Identificando o medo na criança:
As reações mais comuns ao medo: palidez, suor, coração palpitante, tremores pelo corpo, dificuldade de fala, gritos, descontrole, choro, irritação, isolamento...
Como agir:
Em momentos de crise os pais precisam agir com calma, tentar não prolongar a situação que causa medo, demonstrar que aquilo não fará mal a ela, falar com uma voz tranqüila, deve agir acalmando a criança, passar segurança...
Em alguns casos fazer com que a criança se acostume com a situação de maneira gradual, ter paciência com a criança, não dizer mentiras para tentar acalmar a criança, por exemplo mentir para a criança que tem medo de médico dizendo que vão ao parquinho... ser sincero e verdadeiro com a criança para que ela confie em você.
Buscar soluções criativas, por exemplo para uma criança que tem medo de médico os pais podem ajudá-lo a  superar esse medo brincando em casa de médico com o filho, usando os bichinhos de pelúcia ou bonecos como pacientes...
Não podemos exagerar na atenção, supervalorizando a situação nem considerar uma bobagem, não levando em conta os sentimentos da criança, é preciso buscar esse equilíbrio.
O problema do medo é quando ele evolui transformando-se em uma fobia. Ter medo é algo comum principalmente na infância a diferença é que as fobias diferenciam-se dos medos normais da infância por serem reações excessivas, exageradas, não adaptativas e que fogem do controle da criança.
Quando o medo impede a criança de brincar, se relacionar...pode ser importante buscar ajuda profissional.
Leia mais sobre o assunto aqui e aqui

Fonte da Imagem: Google Imagens
Fonte de pesquisa: Revista Almanaque do bebê
Edição especial
Ano 1, nº3
Editora Online

Quem tiver alguma experiência neste sentido para compartilhar, sinta-se a vontade.
Um beijo e ótimo final de semana a todas que passarem por aqui!
Lauri, do blog Nosso Danielzinho

VEJA MAIS POSTAGENS

8 comentários

  1. Puxa, o Bernardo agora começou com o Medo. Volta em meia ele me fala que esta com medo do Lobo Mau ou dos barulhos. Ainda nao sei como lidar, muito bom ver este texto aqui!

    ResponderExcluir
  2. Ainda não passo por isso, mas bom se prepara psicologicamente, pois quem não tem medos???
    Eu tenho uma amiga que fala que a palavra MEDO é muito forte para uma criança e tenta passar toda a segurança pra sua filha. Certa vez a menina dela caiu do cavalo e ela colocou a menina em cima do cavalo outra vez e disse: Não fique assustada, cair é coisa que acontece"... Sem traumas ela cavalga super bem...
    Grande beijo
    Carol

    ResponderExcluir
  3. Oi Lauri
    Que interessante esse post
    Já havia me esquecido dos medos que meu filho mais novo tinha
    Era difícil ir há uma festa de aniversário que tivesse personagens infantis fantasiados, pois ele morria de medo
    é muito importante perceber que o que para os pais parece uma bobeira para a criança é muito sério.
    Devemos ter essa sensibilidade na hora de lidar com o medo infantil, caso contrário ao invés de ajudar podemos atrapalhar mais ainda esse sentimento.
    Espero que o medo de seu filho passe logo,
    Beijocas
    Cris Chabes

    ResponderExcluir
  4. davi é um medrosinhooooooo, tem medo d tudo.... ele fica se assutando, a ele mesmo acredita? ai quando nao aguenta o medo chora e pede pra gente dizer q nao tem lobo mau, nem bruxa....uma das coisas q agente nunca fez foi assusta-lo pois eu sou uma medrosa de primeira....mas nao adiantou...afff ele tem medo do barulho do liquidificador, do aspirador....affffffffff
    bjusss amei o texto

    ResponderExcluir
  5. Laura é medrosa! Chorona também, sensível como ela só. Interessante e oportuno este post. Laura agora deu para temer o fumação. Qualquer fumaça por menor que seja ela tem pavor, encolhe toda, pede colo, chora e diz que é fumação. Boas dicas aqui. Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Lauri, minha querida amiga, ótimo post.
    Uma coisa tenho observado que os medos mudam com o passar do tempo.
    Cada fase é uma coisa diferente e precisamos mesmo aprender a lidar com cada um deles.
    Beijos e fica com Deus!

    ResponderExcluir
  7. Meninas, obrigada a todas pelos comentários e diquinhas...
    bjs, Lauri

    ResponderExcluir
  8. Lauri. Obrigada pela visita. Seja bem vinda e volte sempre que possível. Eu estou sempre aqui colhendo todas as dicas para aprender tudo. Nem sempre comento, por causa do tempo, mas leio tudo. Muito bom. Meus parabéns. Beijos!

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar, ficamos felizes!