Mamãe Andréia

Seu filho faz birra?

terça-feira, abril 09, 2013Andreia Sales

 
seu filho faz birra?
Foto: woogies1/ Stock Photo e Stock.XCHNG

Seu filho faz birra? Entenda o motivo e saiba como acabar com o problema

“As crianças tentam manipular os adultos para chamar atenção”

Lidar com manhas, berros e escândalos das crianças pode ser bastante desgastante. Ainda mais quando a cena acontece em público e você, com toda serenidade e paciência do mundo, tenta contornar a situação da melhor maneira possível. Essa birra tem motivo. “São maneiras de chamar a atenção para aquilo que elas querem. Os pequenos demonstram suas vontades e o que estão sentindo através desse tipo de comportamento” explica a psicóloga infantil Priscila Gasparini Fernandes. 

De acordo com a profissional, a chamada birra ocorre de meses até os seis anos de idade. “Isso depende muito da família, de como vai lidar com essa conduta. Se os pais não souberem dar limites para que isso tenha um fim, o problema pode perdurar e impulsionar aquela criança a ser problemática na escola”. Ao abrir o berreiro, o pequeno tende a se jogar no chão, chorar. “Eles tentam manipular o adulto para que consigam o objeto de desejo deles. Então vai muito dos pais serem firmes para que não cedam aos apelos”, diz. 

O problema também tem pode ter relação com a carência que os filhos sentem dos pais, principalmente daqueles que trabalham o dia inteiro e não têm tempo de dar atenção. Priscila conta que antigamente não se via muitos casos de pais reclamando, afinal, as mulheres ficavam mais em casa cuidando das crianças. "E se ela aprender que o choro faz com que chame a atenção, vai usar sempre desse artifício”. 
O cuidado na hora de dizer não
Pais que sabem dizer “não” e sustentam essa posição têm mais chances de ajudar os filhos. “Falou um 'não', tem que cumprir. As crianças que são criadas em ambientes com essas regras firmes tendem a sair da birra muito mais cedo, porque elas vêem que a manha não funciona”, diz a psicóloga. 


O que fazer diante do problema?
“O ideal nessa hora é conversar. Se estiver fazendo um passeio, deixe claro as regras antes de sair de casa. E se depois disso a criança no meio desse passeio fizer alguma coisa, o ideal é voltar para casa. O filho precisa entender que ele perde aquilo que seria o objeto de desejo. Isso funciona porque ele vê que perde, e aí, começa a distinguir esse tipo de comportamento”. 

Priscila ainda afirma que os pais precisam ensinar aos filhos que a vida tem limites. “Do contrário, vão ser aqueles adolescentes revoltados, que não aceitam receber ordens de nada, de escola, de superiores. Até no trabalho são profissionais que se tornam problemáticos”. 
A opinião da especialista sobre pais que colocam crianças de castigo
“Sou contra ao castigo por si só, porque a criança não tem o poder de discernimento quando o adulto diz, por exemplo, para ela pensar sobre aquilo que fez de errado. Se os pais acharem por bem colocar o filho sem assistir TV por dez minutos para ela sentir uma restrição, tudo bem. Essa é uma maneira dela sentir que teve um comportamento inadequado e que de alguma maneira teve uma punição”.


Aurora Aguiar

 Aproveitem nosso Sorteio de uma Box Bijou Kids

 

Esse foi meu recado de hoje.

VEJA MAIS POSTAGENS

10 comentários

  1. Adorei sua abordagem deste tema, acho que todas nós sofremos com as birras de nossos filhotes, temos que aprender a lidar com elas...

    ResponderExcluir
  2. é bem isso, a minha mais nova tava com as birras e foi só com conversa na hora e ser firmes para não ceder... é cansativo, mas hoje ela só faz birra se tá com sono e não por qualquer motivo.

    ResponderExcluir
  3. Texto excelente. Com 7 meses, minha filha já ensaia algumas birras e nós tentamos ser firmes e conversar. Mesmo que ela não entenda, como muitos a nossa volta dizem. Mas optamos por criar um hábito de conduta para q ela, no mínimo, se habitue a ouvir o não a explicação e nós nos habituemos a educá-la. Não há como saber o momento exato em que a criança está pronta para entender. Por isso, optamos por deixar a preguiça de lado e estarmos sempre prontos para educá-la, desejando que lááá na frente isso surta algum efeito. Esperamos que sim!

    http://confissoesdarecemcasada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Muito bom texto, não tive esse problema por incrível que pareça com nenhuma das minhas filhas qdo crianças, ambas foram muito obedientes e compreensivas(no passado), rsrr, mas tenho amigas que sofrem muito com o berreiro alheio no meio do shopping rsrs ficam apuradíssimas e só pioram a situação com a repreensão que aplicam rsr Bjooooss

    ResponderExcluir
  5. oiiii
    esse texto veio a calhar hoje, pois é um assunto que venho pensando demais, tenho uma filha de 1 ano e 8 meses e tem momentos que ela faz birra quando não dou o que ela quer, realmente é um assunto não tão fácil de lidar, mas é bom saber que não sou a única que vivencio esse problema,
    Obrigada por partilhar ;)

    ResponderExcluir
  6. Fiquei feliz com a sua visita. Origami é só uma questão de paciência.
    Meus filhos nunca fizeram birra..... passaram a ser malcriados depois de adultos.... :(
    bjs
    Sônia

    ResponderExcluir
  7. Ah sim, por aqui elas chegaram cedo, rs. Acho que o ideal é conversar mesmo, contar até 10, rs, manter a calma.

    Agora tá melhor, O Pititico fica bravo e senta no chão, bate a mão, mas vou conversando, tomara que surta efeito, rs.

    Beijo!

    ResponderExcluir
  8. põe desgastante nisso meninas
    aff já me vi doidinha
    com as birras da minha
    mais sempre mostrei quem mandava
    se ela visse meu descontrole já era

    linda noite equipe bjs

    http://sermamaepelasegundavez.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Queridas amigas obrigada pelo carinho.
    Retribuindo a visitinha de todas.
    Bjks

    ResponderExcluir
  10. Nossa Andréia que texto interessante. Tenho uma amiga com uma filha de 5 anos e quando vejo ela fazendo birra (quando se está de fora da situação se tem outra visão) lembro-me dos meus filhos.
    Eles não fizeram muita birra, de chorar ou bater o pé,ou já dava aquele tapinha na bunda (meu Deus que crime). Hoje talvez fizesse diferente, sei lá.
    Beijocas
    Cris Chabes

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar, ficamos felizes!