preconceito

Xô!!!!!! Preconceito

terça-feira, abril 16, 2013Cris Chabes

Esta semana (21/03) assisti ao programa "Encontros com a Fátima Bernardes" na globo que abordou um tema muito interessante, e que nunca falamos sobre isso aqui no Recanto. Resolvi trazer o assunto para cá, pois somos mães e pais que amam seus filhos acima de tudo. 

O programa falou da dificuldade do filho falar para os pais, amigos e sociedade sobre a sua opção sexual. "Pai,mãe, família....... eu sou gay!"
Imagem do Google
Fiquei a tarde toda pensando sobre esse assunto. Andei na rua, entrei nas lojas, assisti a um filme e em todas as situações observava as pessoas e me perguntava "No que somos diferentes?"
imagem do google
Na cor da pele? Do cabelo? Na altura, nas feições, no peso? Sim, nessas e em muitas outras variáveis todos somos diferentes, mas convivemos com essas diferenças e as aceitamos. Por que então a dificuldade, ainda existente, em aceitar a opção sexual de uma pessoa que não nos é estranha, mas que faz parte da nossa família. Uma pessoa que amamos antes de saber se ela é gay?

Em toda a literatura encontramos casos de rejeição naquilo que nos parece diferente. Rejeitamos o que desconhecemos. Podemos dizer que: "Eu não quero comer quiabo", mas por que ao experimentar uma única vez, seu gosto não me agradou. Eu não quero conhecer o Amazonas, por que tenho medo de bichos, mas é só isso que tem lá? Eu não quero conviver com essa pessoa por que ela é velha, mas não ficaremos velhos um dia?" Rejeitamos o desconhecido e rejeitamos aquilo que não nos agrada. Mas espere......vivemos sozinhos na sociedade? Somos o centro do universo? E a felicidade do outro não importa?

Voltando ao assunto: "O que nos faz feliz? Amar alguém, ter uma família que nos ama e que amamos?" Nós podemos? E o outro também? É claro! 
imagem do google
Se a opção sexual, ser gay, lésbica e afins, é uma expressão do amor que um ser humano sente pelo outro, por que não aceitamos? 

Eu amo meu marido e não sou contestada por essa opção, apenas por que um dia Deus uniu um homem e uma mulher para que vivessem no amor e procriassem. Isso ninguém vai condenar, certo? Mas condenar um homem por que ele ama outro homem, nossa!!!! 
Então deixe-o viver infeliz toda a sua vida, para não contestar aquilo que a sociedade quer?Todos voltam para seus lares e enquanto um se alegra nos braços de sua mulher e filhos, o outro senta e chora, por que a sociedade não o quer ao lado de um parceiro/a que o faça feliz.!!!!!!1 É isso? Espero que não.

Enquanto escrevia esse texto, muitos jovens ensaiavam para contar aos pais, que não deixaram de ser homens e mulheres honestas, que estão estudando, trabalhando, construindo um mundo melhor, mas que tinham amor por outra pessoa do mesmo sexo e adorariam que a sociedade os deixassem ser felizes.

Enquanto escrevia esse texto, muitas crianças nasciam e daqui há alguns anos teriam que passar por essa conversa com seus pais.
imagem do google

Se é fácil falar em RACISMO, PRECONCEITO, BULLING, então que seja fácil pensar e aceitar o outro como um ser com direito há felicidade.
Se seu/ua filho/a é gay, abra seu coração e aceite-o, afinal você o amou desde o primeiro momento e não pode deixar de amá-lo. Sei que não é fácil entender ou aceitar, mas por amor aos nossos filhos temos que aprender a não ter preconceito, a não querer se achar melhor que o outro, a não oprimir os sentimentos, a construir um mundo melhor para todos.  

imagem do google
Beijocas
Cris Chabes


Leia um trecho dessa matéria que mostra o lado de uma menina cujos pais eram gays e o que ela faz hoje: 
"Durante toda a infância, a americana Abigail Garner sentia o coração acelerar toda vez que alguém mencionava a palavra "bicha" na sala de aula. De uma primeira geração de crianças criadas em famílias alternativas assumidas, ela cresceu mostrando o boletim escolar e negociando o horário de voltar para casa com uma mãe e dois pais - seu pai biológico decidiu viver com outro homem quando ela tinha 5 anos. Hoje, aos 33, é uma das mais conhecidas defensoras da causa gay no país, apesar de ser heterossexual. Desde 1999 escreve textos e dá palestras que ajudam filhos de homossexuais americanos - segundo estimativas, pelo menos oito milhões de crianças e adolescentes." continua aqui


VEJA MAIS POSTAGENS

20 comentários

  1. Num mundo coberto por tantas chagas, não entendo como, ainda hoje, há quem não aceite o amor. Se é amor, é válido! É pra ser valorizado, respeitado! A diferença está aí, e só nos faz enriquecer. Somos todos diferentes em algum aspecto, e não há qualquer problema nisso.
    O preconceito não leva a lugar nenhum, só à maldade e à infelicidade!
    Que nossos filhos cresçam sabendo valorizar o amor e o respeito.

    Excelente texto. Um dia falarei sobre ele no meu blog também,

    Beijos,

    Patricia,

    http://confissoesdarecemcasada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Que bom que você trouxe esse tema...impressionante o quanto ainda somos uma sociedade NADA evoluída quanto às diferenças...e tenho mais ainda dificuldade de entender porque cargas d´água envolvem homossexualidade com religião...o que eles querem são os mesmo direitos civis de cidadão e não a aceitação das igrejas. Não se pode misturar alhos com bugalhos...

    ResponderExcluir
  3. Assunto ainda polêmico. Por mais evoluída que diga ser nossa sociedade, ainda existem barreiras que teimam em permanecer, talvez justamente porque, como foi dito no texto, é desconhecido, e temos medo do que não dominamos.
    Acredito que ainda precisaremos de um tempo para amar mais e julgar menos, para compreender mais do que condenar, mas eu acredito também que estamos no caminho... um dia chegaremos lá.
    Gostei do texto.
    Abraços.

    http://oblogdasuzy.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Ola ,ja imaginou uma musica personalizada com o nome do seu filho na festa de aniversario ?

    acesse nosso site:

    www.studiopersonalmusic.com

    selecione a categoria Aniversario , sao mais de 200 amostras em varios temas !!!

    é so vc escolher a musica que mais combina com seu filho e ter essa super novidade na festa.

    contato:

    Lane e Manoel

    www.studiopersonalmusic.com

    ResponderExcluir
  5. Oi Cris,
    Realmente um tema muito polêmico, mas que nos faz refletir muito se fosse conosco tal situação...afinal amor de pai e mãe é incondicional! Ainda que ainda haja muito preconceito, acredito que a sociedade já deu uma grande evoluída e quem sabe tão logo as pessoas sejam mais flexíveis. Há de melhorar!
    Beijos,
    Larissa Andrade.

    http://www.maternidadeecotidiano.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Acho que acima de tudo os filhos orecisam de nosso apoio...
    É a opção sexual deles e não a nossa!
    Tão triste essas pessoas viverem com medo e escondendo o que escolheram para si!
    Gostei do tema ;)
    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Cris parabéns pela abordagem do tema.
    Nós todos temos que respeitar o ser humano acima de suas escolhas.
    Bjks

    ResponderExcluir
  8. Oii Cris, excelente post, de fato não é fácil aceitar pois idealizamos nos nossos filhos padrões de "normalidade" ditados pela sociedade, e qdo eles fogem deste padrão "ideal" ficamos sem chão mesmo, tenho amigos que passaram por isso, como fiz Artes Cênicas convivi com muitos homossexuais no curso, e presenciei o momento da "verdade" de alguns deles, e a dificuldade dos pais em aceitar era grande! Bjoos

    ResponderExcluir
  9. Temos que refletir mesmo sobre esse assunto....as mudanças e padrões na sociedade estão ocorrendo independente da nossa vontade. E uma hora ou outra os filhos irão questionar sobre esse assunto, sejam eles hetero ou homossexuais. E nós estamos prontos pra isso?!

    www.leticiapsicologa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. o preconceito muitas vezes mora onde falta informação, temos medo do diferente... temos que incentivar nossos filhos a desarmarem-se e aceitarem, temos que aprender a aceitar.

    www.mamybrasil.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. @Pati_SB_Carvalho
    Olá Pati se um dia escrever sobre o tema avise-me que eu compartilho nas redes sociais. Esse tipo de preconceito tem que acabar.
    Beijocas
    Cris Chabes

    ResponderExcluir
  12. @Myriam Scotti
    Pois é Myriam aquelas pessoas que dizem não ter nenhum preconceito, muitas vezes são as que mais tem, pois se mantém longe desse tipo de discussão, assim não expõem sua opinião
    Beijocas
    Cris Chabes

    ResponderExcluir
  13. @Suzy Santana da Lapa Olá Suzy espero realmente que um dia a nossa sociedade fique livre desse tipo de preconceito.
    Beijocas
    Cris Chabes

    ResponderExcluir
  14. @Larissa Andrade Pois é Larissa, será que se fosse conosco não tomaríamos atitudes parecidas? Isso nos faz refletir sobre nossos atos e pensamentos.
    Quem espelho nos reflete
    Beijocas
    Cris chabes

    ResponderExcluir
  15. @Rafaella Olá Rafaella todos são vitimas do preconceito e com certeza sofrem muito com a falta de amor de quem deveria apoia-los sempre, seus pais.
    Beijocas
    Cris chabes

    ResponderExcluir
  16. @Andreia Sales Olá Andréia para mim a palavra e a atitude RESPEITAR O PRÓXIMO está presente em cada minuto. Mesmo que seja um companheiro de trabalho. Não somos todos iguais. Certo?
    Beijocas
    Cris chabes

    ResponderExcluir
  17. @Kellen Bittencourt Pois é Kellen, o que é normal ou ideal? Queremos que o outro pense como nós, mas quem disse que nosso pensamento e jeito de ser é o correto?
    Beijocas
    Cris Chabes

    ResponderExcluir
  18. @Letícia Santos è isso Leticia a nossa sociedade está reconhecendo e respeito a opinião do outro, mas estamos ainda em passos de formiguinha.
    Beijocas
    Cris Chabes

    ResponderExcluir
  19. @Mamy Br Olá Mamy, é por isso que temos que divulgar e falar sobre o assunto, para que ele não se torne algo só comentado nas rodinhas de amigos.
    Beijocas
    Cris Chabes

    ResponderExcluir
  20. Cris, parabéns pela coragem de abordar esse assunto que é tão polêmico!
    Acho que não é nada fácil para alguém ter que assumir a sua sexualidade para a família, amigos e sociedade. Ainda vivemos num mundo cheio de preconceitos! acho que também não deve ser nada fácil para a família aceitar tudo isso numa boa e de uma hora para a outra. Acho também que se um pai e uma mãe prestam atenção aos seus filhos (desde sempre), sabem do que gosta de brincar, com quem e aos poucos percebem qual é a personalidade do filho e suas opções sexuais mesmo antes de ele vir falar com os pais. Quem observa os filhos sabe como ele é e assim fica bem mais fácil aceitar as mais diversas situações que aparecem na pré-adolescência, adolescência e fase adulta.
    Os filhos precisam de amor, carinho, cuidado, atenção e apoio, seja como for!

    Beijos!

    Lívia.

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar, ficamos felizes!