Mamãe Andréia

Como ajudar o seu filho a ter sucesso naturalmente

terça-feira, junho 04, 2013Andreia Sales

Os pais querem que o filho se destaque na escola, no esporte, no curso de línguas... Mas exigir que ele seja o melhor em tudo pode transformá-lo numa pessoa insegura. Veja como ajudá-lo a se dar bem sem tanto stress.




Numa sociedade em que a concorrência é cada vez maior, a tendência é os pais se preocuparem demais com o desempenho dos filhos. Daí, matriculam a criança ou o adolescente em várias atividades além da escola. Ok, não há nada de errado em investir na educação, já que ela fará diferença no futuro deles. O problema é quando a busca pelo filho perfeito tem a ver também com a vontade dos pais transformarem a garotada numa versão mais bem-sucedida de si mesmos. Nesse caso, as exigências são duras. "Pais competitivos demonstram dificuldade em aceitar que o filho tenha limitações e preferências", acredita o psiquiatra e psicoterapeuta Gabriel Magalhães Lopes, especializado em infância e adolescência, do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo (USP). "Muitos se sentem realizados só quando o filho fica em primeiro lugar, porque encaram como se fosse a própria vitória", completa a psicóloga Patricia Spada, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).
Insegurança à vista
Se a criança ou o adolescente forem cobrados em excesso, podem desenvolver uma série de problemas. O principal é a baixa autoestima. Como é impossível manter-se no auge o tempo todo, eles se frustram. Além disso, o espírito de rivalidade se torna exacerbado, interferindo na capacidade de estabelecer vínculos positivos com pessoas da idade deles. A criança indica que está sendo cobrada além dos limites quando apresenta: sonolência, irritabilidade, agressividade, isolamento, indisposição, aumento nos níveis de ansiedade e insegurança (esse sentimento é percebido quando o pequeno passa a perguntar se o que eleestá fazendo é correto, ou busca aprovação para tudo). No caso dos adolescentes, eles também demonstram irritabilidade e sonolência, no entanto os sintomas mais comuns são: isolamento, tristeza e mudanças nos hábitos alimentares (passam a comer muito ou pouco).
De bom tamanho
Diante desses sinais, há duas coisas a fazer: primeiro, diminuir o grau de exigência e, segundo, aliviar a agenda da garotada. Pensar que os filhos têm que se sair bem em todas as atividades é um erro. Uma pesquisa realizada pela Universidade East Anglia, na Grã-Bretanha, mostrou que o ócio na infância é essencial para desenvolver a criatividade. Para chegar a essa conclusão, foram entrevistados dezenas de artistas que contaram o que faziam quando eram pequenos. O ponto comum entre eles: tempo livre! É preciso ficar atenta para não preencher tanto o dia dos filhos a ponto de minar a diversão ou prejudicar as atividades de rotina. "Às vezes, o rendimento deles cai ao se sentirem pressionados", diz Patricia. Escutar o filho também é essencial. "Se ele reclama que está cansado, os pais devem respeitar", completa a psicóloga.
Pai e mãe em sincronia
O casal tem que compartilhar a mesma opinião. Os pais precisam decidir o que fazer em todas as situações antes de comunicar qualquer coisa ao filho. Se uma parte acha que deve cobrar mais e a outra não, o casal tem que afinar o discurso. Do contrário, o filho fica inseguro. Pior: "Quando o casal se divide, a criança também reparte a família em dois blocos e corre para um ou outro segundo as suas necessidades", diz a psicopedagoga e neuropsicóloga Ana Paula Macchia, do ABC Aprendizagem Centro Interdisciplinar, em Santo André (SP). Se o seu filho, por exemplo, quer parar de estudar para ver TV, ele busca a parte menos "cobradora". Para adiar o banho, alia-se à figura permissiva dizendo que vai estudar mais umpouco. "Pai e mãe devem tomar uma posição juntos e firmá-la assim: 'nós decidimos que...', ou 'nós queremos que...'", conclui ela.
Nota 10?
Tirar sempre a nota máxima na escola não significa que a garotada esteja aprendendo tudo. Segundo a psicóloga Patricia Spada, ela pode apenas ter encontrado uma fórmula para responder corretamente às questões, sem necessariamente absorver o conteúdo. "Além disso, tirar nota boa deve serresponsabilidade do filho, não dos pais. Desde cedo ele tem que se tornar responsável pelo próprio desempenho", completa. Mas pai e mãe precisam, claro, acompanhar as atividades e cobrar responsabilidade e disciplina. "A nota é consequência. Exigir somente o 10 transforma o filho num perseguidor de resultado, pouco preocupado com o processo", explica a neuropsicóloga Ana Paula.

Dicas valiosas

· Valorize o talento dele.
· Descubra o que ele tem de único e estimule. Para isso, preste atenção ao comportamento dele. Se a criança ou o adolescente se motiva mais para uma prática, pode ser sinal de que tem potencial para a área.
· Resista à tentação de achar que você tem total poder sobre o futuro dele.
· Os filhos têm preferências, que devem ser respeitadas. É preciso perceber se, no fundo, você não está atendendo apenas as suas demandas.
· Não faça comparações.
· Seu filho não precisa ser tão bom quanto o irmão, ou melhor que a criança da vizinha. Se um vai bem em matemática e o outro não, veja a possibilidade de eles se ajudarem em vez de estimular a competição entre ambos.
· Seja positiva e evite comentários negativos.
· Pode ser diante de uma nota baixa ou da dificuldade do seu filho em ser o melhor em alguma coisa. Dessa forma, você não o deixa se sentindo incompetente.
Fonte:MdeMulher
Aproveitem o sorteio de Anivesário do Blog.
Sorteio de Aniversário
Clique na Imagem para acessar o sorteio

Esse foi meu recado de hoje.

Convido a todas a conhecerem meu Blog Mãe Vaidosa.
Andréia Sales


VEJA MAIS POSTAGENS

7 comentários

  1. Muito legal o post!
    Realmente, temos que cuidar muito pra não colocar nossas expectativas sobre eles e sobrecarregá-los com nossa ansiedade!
    Bjo!

    ResponderExcluir
  2. Otimo post!
    Concordo demais principalmente em não comparar as crianças.

    beijos

    ResponderExcluir
  3. Incentivar os filhos é tudo, temos mesmo que cuidar para não cobrarmos demais.
    beijos
    maede4princesas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Ótimo post, Andréia! Com certeza um bom texto para reflexão... bjs Camila

    ResponderExcluir
  5. Andréia. Lindo seu blog.

    Já estou seguindo vc tb,amiga.

    Vou colocar seu blog na minha lista de favoritos.

    Seja bem-vinda!

    Obrigada por me seguir e comentar.

    Volte sempre!

    Beijos e linda semana


    Donetzka

    ResponderExcluir
  6. Andréia que post legal.
    Vou guardar estas informações para quando as meninas forem para escola.

    Tri-beijos Desirée
    http://astrigemeasdemanaus.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar, ficamos felizes!