Colaboradora

Mãe e profissional: o equilíbrio.

domingo, junho 09, 2013Recanto das Mamães Blogueiras

Por Niélia, do blog Mãe da princesa Emanuela




Sempre, na minha aflição por realização pessoal e materna, pensava se não haveria de ter um meio termo que pudesse me satisfazer. Li muita coisa sobre o assunto, orei e me aventurei nesses quase 3 anos da Manú.


Uma vez uma pessoa me disse em tom de acusação, que eu sofria por que quis fazer tudo de uma vez só. Ser mãe, estudar e trabalhar. Semana passada escutei de novo isso. Só pra somar a minha montanha de culpas maternas! Mas de "verdade" .... não estou me permitindo mas sofrer nem me culpar (exercício mental rsrsrsrs porque me sinto assim sempre, mas um pouco de pensamento positivo é bom rsrsrsr), o que mas tem ocupado minha mente é que ninguém no mundo pode julgar minhas decisões e escolhas. 

O que percebo é que as mães que me falaram isso, não tem sua história em nada comparada a minha. Não estou menosprezando elas não.... são pessoas importantes em minha vida e com certeza tem muito a me ensinar. Mas não posso deixar que essas palavras me deixem pra baixo. 

A minha história está sendo escrita de acordo com minhas experiências e não posso viver dentro da caixa de culpa. Como se não acertasse nada na vida. Sou mãe, amo minha filha e amo ser mãe. Mas a vida moderna não nos permite mais "parar" no tempo. Também não dá pra fazer da minha filha o cordeiro imolado. Então fui em busca do tesouro escondido: O equilibrio.

Não, ele não é equilibrio por completo e nem dá pra ser. Tem dias que os sacrifícios vão acontecer e os dois lados vão perder ou ganhar. Desde que Manú tinha 7 meses eu voltei a estudar e quis muuuuuito entrar na área de cabeça. Mas não pude, as oportunidades foram mínimas e as condições péssimas. Fiquei sem babá para Manú muito tempo e sem condições financeiras para me aventurar. 

Fiz mil planos A, B, C, D etc. Mas eles não aconteceram. Ficava orando e pedindo a Deus que me ajudasse, me iluminasse pois tinha horas que não consegui enxergar a saída. Como muito lares, o marido não consegue dar conta sozinho do sustento, e as nossas listas de planos pessoais aumentam cada dia mais. Cheguei a conclusão que não podia mais ficar sem trabalhar. Não! eu não preciso trabalhar para sustentar a casa, mas os limites ficam estreitos quando queremos algo mais que pagar as contas e fazer o supermercado. E se alguém me criticar por dizer isso, não posso fazer nada. Pois cada um pode pensar o que quer!

Eu e Rogério sempre falamos em montar nosso próprio negócio. As idéias viam de todas as formas. Mas eu sempre tive medo. Queria muito, mas não de qualquer maneira. Queria capital pra investir, um bom local e uma proposta que tivesse boas chances de sucesso. Meu espírito empreendedora é um nível bem aguçado rsrs. Mas aí aconteceu ... vi um ponto comercial e a oportunidade excelentes. Deixei de lado algumas exigências e uni o útil ao necessário. Poder trabalhar e cuidar da minha filha sem precisar de babá integral.

Quando fechei o aluguel não tinha nenhum centavo, mas alguma perspectiva para conseguir. Deus me encheu de coragem. Sim, Deus. Só ele mesmo poderia fazer isso em mim. Aí, acontece o que tanto queria: o estágio na minha área. É rir pra não chorar... Decidi cumprir o estágio na carga horária exigida. Gastei toda a bolsa pagando uma babá pra Manú. Acordava as 4h30 da manhã. Ralei, senti o gostinho de ser profissional em uma área em pleno crescimento e com ótimas perspectivas, mas nem sempre oportunidades.

Quando estava estagiando, recebemos a notícia que o capital que precisávamos pra iniciar o negócio foi aprovado e ficamos de mão dele até terminar meu período. Na empresa, recebi uma proposta de trabalhar em outro setor. Proposta excelente fosse em outros tempos. Mas não dava pra voltar atrás e não queria.
Um salário pra mim que valesse todas as despesas que teria para pagar babá, escola e transporte para Manú demoraria muito pra acontecer. E ficar sem aproveitar nada "$" pra mim e deixar minha filha com os outros, deixar de fazer as coisas que amo fazer como: levar pra escola, cuidar dela quando está doente, cuidar da sua alimentação e dar atenção necessária, não valeria a pena de maneira nenhuma. Ficaria sem estar presente na vida da minha filha e sem dinheiro extra. Decidi abrir minha loja que não tem retornos financeiros a curto prazo também, mas que me proporciona ficar com minha filha integralmente.

Desde do dia 2 inaugurei minha loja. E tenho muitos planos ainda e desafios. Manú dorme na horinha dela tranquilamente, pois vem ficar comigo na hora que o pai vai trabalhar, por volta das 9h.  A loja fica bem pertinho da escola dela. Eu mesmo a levo pra escola e ela já não reclama mas de cansaço pois de casa pra escola era bem longe. Eu dou banho, almoço e brinco com ela. É claro que aqui é uma empresa. Mas é bem tranquilo por enquanto e dá pra ela ficar numa boa. Só vou a aula agora duas vezes por semana, vai prolongar ainda mas meu curso mas é o sacrifício necessário. Eu pego ela na escola.Ela vai pra casa da minha mãe com a ex-babá dela e fica até eu largar, meu pai me ajuda a levá-la pra casa. Ela dorme cedo e na minha companhia. Minha filha está mas tranquila, os problemas de adaptação da escola estão visivelmente melhor, a prisão de ventre controlada. E eu... muito realizada. É claro que abro mão de algumas coisas. Mas ganho em outras e assim vou seguir minha caminhada. 

Que sei que é a de milhares de mães corujas como eu. Sou mãe e preciso trabalhar e acho que uma coisa não deveria anular a outra, eu busco uma alternativa dentro da minha realidade e das oportunidades que me surgem. E vou seguindo... em busca do equilibrio da vida moderna.


Niélia por Niélia: Sou mãe da Princesa Emanuela que vai fazer 3 aninhos já. Esposa, dona de casa, estudo, trabalho... Sou uma pessoa normal e uma mãe apaixonada, aprendendo cada dia.

Participe deste espaço enviando um email para recantodasmamaes@yahoo.com.br

VEJA MAIS POSTAGENS

3 comentários

  1. é verdade temos que sempre fazer o melhor, não deve nunca se sentir culpada! torcendo para seu negocio dar super certo!!

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito do texto e da sua experiência Niélia.
    Super importante buscar o equilíbrio em todos os nossos papéis. Muito sucesso nos negócios!
    beijos
    www.pitacosdamae.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Obrigada pessoal! A equipe do Recanto por publicar o texto e as mamães que comentaram. Não é fácil , nunca foi, mas continua prosseguindo.
    Bjs no coração
    Niélia Santos!
    maedaprincesaemanuela.blogspot.com

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar, ficamos felizes!