Culpa não Mamãe Marcella

Para o alto eu vou!

quarta-feira, julho 10, 2013Mamãe de Salto por Marcella Stelle

Um dia, você acorda com a sensação de que está num filme do Steven Spielberg. Imagine a cena: é madrugada, você está deitada em sua deliciosa e quentinha cama num sono profundo, seu marido ou namorado está abraçado a você. Um barulho ecoa pela casa. Você abre os olhos assustada, não sabendo o que pode ser nem da onde aquele som estranho vem. Rapidamente você se levanta e procura a origem do som. Caminha na escuridão tentando não cair nem chamar a atenção daquele que pode provocar o som. No meio do caminho você descobre a origem e encaminha para o cômodo da casa onde está o inimigo. Um monstro? Um E.T.? Um assassino? Não, você não está num filme, é a realidade. Você se depara com o choro do seu frutinho que perdeu a chupeta, encheu a fralda de xixi, ficou com fome ou simplesmente sentiu saudades do colo da mamãe e acordou no meio da madrugada.

A única certeza que podemos dar a uma futura mãe é que nunca mais ela terá as mesmas noites de sono e beleza de antes. Isso é fato! Seja por saudade, cólica, fome, chupeta ou dengo, um dia, ou melhor, uma madrugada seu frutinho irá acordá-la chorando e você não terá opção se não levantar e acalmá-lo.

Nos cursos para gestantes, não se fala sobre essa “maternidade real”, nem livros, nem novelas, filmes ou programas. Quem sabe seja esse o verdadeiro sentido para o sucesso de tantos blogs sobre maternidade que hoje existem na internet. As mães que optam em contar e compartilhar seus relatos, não escondem nada. Elas desabafam em seus blogs/divãs as verdades do “ser mãe”.

Há aquelas que omitam, mas duvido que alguma minta. Não é isso que uma mãe faz. A gente tenta ao máximo preparar as amigas mamães que “maternidade é difícil!”. Maternidade exige paciência, sabedoria, amor, vontade, dedicação. Dizer que é fácil ... ah, isso não é! Muitas vezes me flagrei pensando “o que eu fiz da minha vida!” ... e asseguro você mãe que já passou por isso: não é pecado!

A mulher carrega em seu DNA a “obrigação” de ser bonita, educada, delicada, gentil, ser boa filha, irmã, amiga, aluna, ser excelente esposa, profissional e mãe. OPA! Isso não seria uma sobrecarga de obrigações delegadas a apenas uma pessoa? Em alguma área a gente não vai ser 100%, em outra teremos que ser 91% e alguma vai ficar bem abaixo dos 50%, mas o que importa é que faremos o possível para sermos o melhor que consigamos ser.

É hora de sentarmos e paramos de pensar nos outros e naquilo que os outros querem exigir da gente. Chegou a hora de gritarmos (sem sair voz alguma) “EI, E EU?!” ... para sermos tudo aquilo que desejamos e sonhamos; é hora de nos cuidarmos e valorizarmos. Sabe, podíamos começando a nos dar 5 minutinhos a mais de banho! 

Hoje, ser mãe é profissão! Nos é delegada funções que precisamos mostrar serviço no final do mês. “Já está engatinhando?” “Já está falando?” “Já está comendo?” “Já nasceram os dentinhos?” “Já está andando?” “Já está falando?” “Já está na escola?” “Já tirou a fralda?” ... mas não há nenhuma expectativa de férias ou décimo terceiro!

CHEGA! Ser mãe é dádiva, presente e benção de Deus! Não é obrigação nem palpitação. Eu sou mãe sim, e nem toda mãe é igual! Eu sou mãe e sou a melhor mãe que minha filha pode ter. PRONTO, isso me basta! E deve bastar a todas as mães. Chega de comparação e especulação.


Foi dada a largada! Hora de correr e se apressar. Chega de chorar e se culpar. Vamos beijar, abraçar, sorrir e brincar com aqueles que não nos cobram nada, só pedem um colo e um carinho no meio da madrugada. E isso, eu tenho de sobra!



Conheça, curta, siga e comente!
Marcella Ruschel Stelle
www.mamaedesalto.com
www.instagram.com/mamaedesalto
www.facebook.com/MamaeDeSalto
www.twitter.com/mamaedesalto

VEJA MAIS POSTAGENS

5 comentários

  1. Super... a questão da comparação é terrível! Parece que, se o da fulana andou antes do meu, a culpa é minha, não fui uma boa mãe!!!
    beijos

    www.aprendendoasermaehoje.com

    ResponderExcluir
  2. Lindo, lindo! Sem culpas! Sejamos livres para sermos a mãe que melhor pudermos ser... bjs CAmila Vaz

    ResponderExcluir
  3. Era tudo que eu precisava ouvir hoje.
    Tô me sentindo MEGA sobrecarregada,sou supervisora,mãe,dona de casa e ainda tento ser cuidar de mim.
    Recebo muitas criticas,nem sempre construtivas,pq não tenho tempo para ficar com meu filho(trabalho em shopping),quando estou em casa,tenho os afazeres domésticos para fazer e quase não tenho tempo para cuidar de eu mesmo.
    Me sinto um pouco fracassada + ao mesmo tempo sei que é impossivél fazer tudo perfeitamente.
    Meu filho tá numa fase que não dorme cedo por nada deste mundo,as vezes penso: Pq tive filho? Mais logo esse pensamento vai embora.
    Bjinhos e desculpe pelo desabafo.

    ResponderExcluir
  4. ficou muito boa a postagem sim somos mãe sem decimo terceiro sem salario e sem nos contar a real da maternidade somos mãe com noite sem dormir
    correria e sim envelhecemos e não vai voltar
    atrás então vamos curtir

    linda tarde bjs

    http://sermamaepelasegundavez.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Que postagem maravilhosa!!!
    Amei!
    Beijos
    Chris
    http://inventandocomamamae.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar, ficamos felizes!