Segurança Crianças

Filho, não fale com estranhos!!

quarta-feira, outubro 23, 2013Cris Chabes


_ Não fale com estranhos! Se alguém lhe oferecer um doce, bala....recuse e se estiver sozinho, não tenha vergonha de correr! 

Sabe quando sua mãe ou avó falavam: 


Esses conselhos tão preciosos não desapareceram com o tempo e ainda hoje, principalmente na era digital em que crianças se comunicam com outras crianças (mesmo sem conhecê-las) por meio das redes sociais, eles são muito mais necessários.

imagem do google
Quando crescemos, esquecemos esse conselho e falamos com desconhecidos no ponto de ônibus, no metro, no supermercado, nos chats (redes sociais) etc, muitas vezes contando coisas da nossa intimidade e da nossa família. Mas cuidado, não devemos confiar demais só por que o outro tem uma feição aparentemente confiável. 

A violência urbana nos afastou das pessoas, nos encaminhou ao isolamento e ao medo. O outro deixou de ser visto como indivíduo para transformar-se em alguém capaz de nos enganar e ameaçar.
Bem, somos adultos e podemos julgar e ocultar informações , mas e a criança? Crianças observam os pais falando com estranhos todos os dias, então como saber quem é estranho e quem não é?

Flora Awad
imagem do google
Observe essa situaçãoMichele Melo, 2 anos, é esperta, elétrica, simpática e muito falante com os pais, os avós, a empregada e a babá. Mas basta sair de casa e encontrar alguém que não seja tão íntimo para a menina se enroscar entre as pernas da mãe, a nutricionista Adriana de Faria Melo, 34. "Michele estranha o porteiro do condomínio, que a vê todos os dias, e até os primos", conta Adriana. Sempre que a filha reage dessa forma, a mãe pede à menina para não se esconder e cumprimentar as pessoas. "Tenho de ensiná-la a ser educada e responder aos cumprimentos, mas não a forço", diz Adriana.  É normal a criança esquivar-se de desconhecidos ou de pessoas que não participam de seu convívio familiar logo que chega a um lugar ou se depara com o novo. 

O ideal é ir conversando com a criança somente a partir do momento que ela se insere em outro grupo social que não a família. Então quando começa a frequentar a escolinha, quando vai as festinhas infantis, etc. Falamos com pessoas que não conhecemos, mas é preciso ter maturidade para entender que não devemos nos distanciar de nossos familiares sem a devida permissão. 
Quando a criança atinge os 6/7 anos e está nos primeiros anos escolares é comum os pais ensina-los o endereço e número do telefone. Porém devemos orientá-los a não dar informação de onde mora, com quem, número de telefone, ou seja, informações de localização da moradia para qualquer pessoa que diz oferecer ajuda. 


imagem do google
  • Não diga "Não fale com estranhos". Isso fará com que ele veja o mundo inteiro como um lugar inseguro, quando na realidade apenas uma pequena porcentagem de pessoas pode prejudicá-lo. Em vez disso, diga: "Quase todas as pessoas são boas, mas algumas pessoas podem fazer coisas ruins."
  • Utilize métodos de ensino mais eficazes, por exemplo, em vez de mensagens ultrapassadas como "Não fale com estranhos", utilize:"Veja como os estranhos devem se comportar ... Eles até podem sorrir e dizer olá, mas devem seguir em frente e não devem tentar conversar com você."
  • Se o seu filho estiver perdido ou ameaçado, você quer que ele se sinta seguro em pedir a ajuda de um adulto. Então oriente seu filho a procurar primeiro por um policial fardado, um segurança de shopping, uma funcionária de loja ou uma mãe com filhos - todos adultos susceptíveis de serem seguros e úteis.
  • Deixe claro que é apropriado uma criança se aproximar de um adulto desconhecido para pedir ajuda se necessário, mas não é bom um adulto desconhecido se aproximar de uma criança. Diga-lhe que isto se aplica principalmente se um estranho lhe pedir para ajudar a encontrar um animal, comer algum doce ou entrar em seu carro. Nessa situação, seu filho deve gritar e correr até o adulto mais próximo para obter ajuda.
  • A maioria dos crimes contra as crianças não são cometidos por estranhos. A grande maioria dos danos é feito por pessoas que as crianças conhecem - um cônjuge alienado, babá, etc. Seu filho não deve temer a todos os estranhos, mas não deve ter uma fé cega em todos os "amigos" também.
  • Ensine seu filho a reconhecer, a confiar e agir sobre seus instintos. Ajude-o a responder rapidamente e a se proteger sempre que ele receber um sinal interno de que algo não está certo.

imagem do google
Tudo cuidado com as crianças ainda é pouco. 
Beijocas
Cris Chabes


VEJA MAIS POSTAGENS

4 comentários

  1. Eu me preocupo, porque Davi é aberto demais rs...
    Fala, puxa assunto, aceita tudo que dão...
    Tento conversar muito com ele!
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Ótimas dicas! Temos que ter um "manejo" para orientar as crianças sobre um desconhecido, afinal com tanta violência ocorrendo, até para nós, adultos, fica difícil discernir quem é "bom" ou não é, vai muito do que sentimos em relação ao outro.
    Beijos,
    Larissa Andrade.

    http://maternidadeecotidiano.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. já abordei e abordo muito esse
    assunto aqui em casa amiga
    é muito importante
    seja criança, mulher, ninguém
    pra ela não ir

    linda noite bjs

    http://sermamaepelasegundavez.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Valeu meninas por ajudar a divulgar esse problema muito sério, mas que muitas vezes é tratado como apenas um recadinho. Beijocas Cris Chabes

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar, ficamos felizes!