amigos familia

A Vida em Gravidade!

terça-feira, dezembro 03, 2013Cris Chabes

Esse final de semana fui ao cinema assistir ao filme GRAVIDADE.

Realmente uma montagem cinematográfica muito bonita, porém o que mexeu comigo não estava escrito na legenda, mas em toda simbologia dentro da história. 

É justamente isso que quis compartilhar no texto abaixo, nesta época em que tantas pessoas estão questionando o que fizeram durante o ano e quais planos tem para o próximo, fiz uma analogia entre as cenas do filme e o que estamos fazendo de nossas vidas. 


A personagem de Sandra Bullock é uma médica que vai ao
espaço fazer uma experiência. Compenetrada demais
com seu trabalho nem percebe a grandeza do universo
e a beleza de ver a terra fora dela.
"O que você está fazendo agora? 
Como você vive?
De que forma encara os dias, os problemas, os desafios, as responsabilidades?

Pense em cada uma das perguntas demoradamente antes de dar a resposta verdadeira para você e não para o mundo.

Respire lentamente, escute apenas o som do seu coração, escute apenas a sua respiração e lentamente olhe ao redor.

Depois de um acidente, a personagem se vê sozinha
 vagando no universo.
Então para e pensa o que fez? O que faz? O que fará?
Ela quer voltar?
O que deixou a sua espera?
O que esta acontecendo?
De que forma as pessoas ao seu redor estão vivendo?
Será que as pessoas estão fazendo o mesmo que você?
Como elas olham ao redor?Então diga o que você vê dentro e fora de você?
                                     Você sai de casa todo dia e vai para o trabalho e faz tudo que acredita ser o melhor para que tudo saia corretamente e não se importa com a vida acontecendo e vibrando ao seu lado.  E um dia, sem que você perceba, algo foge do seu controle e da tudo errado. Você se desespera e não sabe como agir. 

       Então percebe o quanto precisa do outro para te ajudar, seja quem for.
Os protagonista precisam um do outro, pois estão sozinhos. Ninguém mais sobreviveu.
A analogia do cordão que une os dois, nos faz refletir que sempre tem alguém ao nosso redor
nos ajudando ou precisando de nós.

O cordão que ligava os personagens se soltam e sozinha
universo,  ela precisa encontrar um meio de sobreviver.
 Neste momento não adianta se desesperar, o que você precisa fazer e controlar sua mente seus impulsos, respirar, pensar e agir de forma tranquila e equilibrada para tentar encontrar a solução e o melhor caminho.

Você junta o resto de energia que sobrou e vira a mesa, vira o jogo, agarra a vida com força extra, ainda que tudo pareça dar errado, ainda que uma sucessão de dificuldades atropelem seus planos, ainda que tudo e todos se afastem de ti, você sabe, desistir não é a melhor solução. 

No filme a protagonista
após conseguir entrar na cápsula
e ser a única sobrevivente 
se entrega a um estado de relaxamento.
 a posição fetal nos lembra o nascimento,
 no caso o recomeço da vida. 

Nada para por que você quer parar.
As dificuldades não deixaram de existir.
O tempo não volta e a vida não volta. Ela segue em frente.

Feche os olhos, respire, busque o equilíbrio emocional e recupere lentamente suas energias, ouça novamente o som do seu coração, da sua respiração, da vida acontecendo a seu redor.

A vida é assim durante o tempo todo. Ela pulsa. Ela continua com ou sem você, mas a decisão de continuar pulsando é só sua.                                   



                                       
                               Então o que você quer fazer agora?
                               O que te move e para onde te move?"


Beijocas
Cris Chabes

VEJA MAIS POSTAGENS

3 comentários

  1. Oi Cris, um post sensacional e cheio de reflexões. Confesso que fiquei meio receosa de ver o filme e ficar angustiada com toda a questão da personagem estar perdida no espaço, mas frente as suas reflexões eu até ficquei com vontade de ver.
    beijos
    Chris
    Inventando com a Mamãe

    ResponderExcluir
  2. Oi Cris,
    Ainda não assisti este filme, mas os questionamentos que vc sugeriu nos traz a um momento de reflexão, afinal o que fazemos e/ou pretendemos fazer é resultado de nossas escolhas. Nós somos responsáveis pelo caminho que queremos seguir.
    Beijos,
    Larissa Andrade.

    http://maternidadeecotidiano.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Cris!
    Saudades de você flor!!!
    Gostei muito do seu texto reflexivo, além de criativo amiga.
    Precisamos pensar e muito nas nossas escolhas, pois o tempo passa rápido e não volta.
    Que Deus nos ajude e oriente sempre!
    Beijos... Cida.

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar, ficamos felizes!