Consumismo exagerado: Sera?

terça-feira, julho 29, 2014Cris Chabes

Olá leitoras do Recanto. Hoje voltei aqui com um tema com o qual venho refletindo há algum tempo: "Consumismo" = aquele bichinho danadinho que nos faz ter vontade de comprar, comprar e comprar.

Eu já li e assisti há algumas reportagens sobre o tema e definitivamente não me enquadro no padrão de Consumidora Compulsiva, mas por que será que temos sempre a impressão de que nos falta algo na hora de se arrumar para sair? Ou até mesmo na nossa casa, com nossos móveis usados? 

Aqui em casa, esse discurso "Não tenho roupa" não é usado por mim, mas por meu marido. Não ....ele não faz compras todo final de semana, mas sempre reclama da falta de uma camiseta pra usar com aquela calça, ou que falta uma camisa branca que realmente ainda seja branca.....enfim.

Eu tenho o hábito de comprar peças básicas e que de preferência durem mais que duas estações. Mas tenho sempre uma peça fora da cor habitual pra alguma ocasião especial. Moro em apartamento e não tem espaço para muitos móveis, assim há 11 anos aqui, só mudei o microondas e a geladeira que quebraram, e um enfeite aqui ou acolá. kkkkk

Mas hoje encontrei uma reportagem muito interessante, que trata de todos os tipos de consumismo.  Uma jornalista Alemã resolveu passar um ano sem comprar nada e contrariando sua família, colocou uma mochila nas costas, afastou-se dos grandes centros urbanos e........ela acabou de escrever um livro sobre o assunto. "A decisão de fazer o experimento aconteceu em uma tarde comum de domingo, na casa de seus avós, onde estavam todos ao redor de uma mesa farta, comendo as mais variadas iguarias. Ela então se deu conta que todos os membros da família que estavam sentados à mesa já haviam experimentado a falha de um sistema, menos ela. Seus pais, avós e bisavós, ou seja, três gerações com três ideologias e experiências diferentes de vida. E ela repetiria os padrões ou mudava? "Leia reportagem na integra aqui

Eu não sei se conseguiria seguir o exemplo dela, pois não poderia arrastar comigo marido e filhos para viver essa experiência, mas comecei a analisar o quanto posso mudar no meu dia a dia, afim de tornar minha vida menos dependente de algumas coisas e pensar na sustentabilidade do planeta. 

Acredito que os exemplos servem para nos fazer refletir e desta forma aprender. 

Beijocas
Cris Chabes


VEJA MAIS POSTAGENS

5 comentários

  1. Eu gasto muito, acho que sou compulsiva, estava querendo me livrar da metade dos cartões pra ver se dou economizada, espero que funcione...

    Beijos

    doidinhaporesmalte.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Adorei o post, também prefiro peças básicas, quando vou a uma loja já tenho em mente o que quero, nada de ficar olhando e procurando novidades... Não tenho muita paciência pra isso, mas quando se trata das meninas, adoro comprar, parece que está sempre faltando algo, rs.
    Bjs
    pequenasofiaemanuelle.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Adotei um estilo de vida bem menos consumista quando resolvi parar de trabahar depois que a filhota nasceu. Quase não tenho comprado roupas e outras tranqueiras e é impressionante como ainda tenho objetos dos quais quero me livrar. Como moro em um apê pequeno, é ainda mais vantajoso ter menos pertences. E o melhor: descobri que ter menos roupas me faz tirar do armário 'aquele vestido maravilhoso' e usá-lo com mais frequência.

    ResponderExcluir
  4. Muito interessante o artigo. O consumismo exagerado interfere em vários aspectos da nossa vida. É preciso ter equilíbrio mesmo. bjs Camila Vaz

    ResponderExcluir
  5. Eu sou uma compradora compulsiva. E assumida. Já tentei ficar 01 semana sem usar o cartao (durou 2 dias no máximo...) e acho o máximo quem faz um projeto de 01 ano sem compras - inclusive tem um blog que amo e fala da experiencia de 01 ano sem compras . Um dia chego lá. Se tiver cura :)

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar, ficamos felizes!