Colaboradora educação

Escola Particular X Pública e Cuidadora de Criança!

domingo, março 27, 2011Recanto das Mamães Blogueiras

Post escrito por Juliana Lacerda, do blog *Quero ser como criança*



Desde que mudei de escola precisei tirar o Felipe da creche que frequentava desde dos 4 meses e tive que emergencialmente colocá-lo numa escola particular. No começo tive um pouco de dificuldade para encontrar um lugar bom e não tão caro como as escolas particulares são. E, sabendo que nem sempre preço alto significa boa qualidade, me apeguei dentro das minhas condições a conversa com a diretora, a facilidade em acessar a escola, pois existem escolas particulares que precisamos agendar como pais para visitar as escolas, o número de crianças e meu coração também contribuiu. Assim, com 2 anos ele foi para a escola particular e ficou o ano passado todo.
Gostei muito da escola, nunca tive problemas, as professoras, funcionários e diretora são pessoas muito bons, fácil acesso e diálogo. Porém o custo de uma escola particular é bem alto, tudo se paga, uniformes, alimentação, material, tudo!
Fiz a inscrição dele, então, na prefeitura, aguardando uma vaga. No final do ano a tal vaga surgiu e fiz a matrícula dele, porém a vaga não foi na escola que eu leciono o que impossibilitou dele começar.Pedi transferência dele para a minha, e estou aguardando a vaga agora. Porém algumas dúvidas estão permeando minha decisão de retirá-lo da escola particular, e a mais marcante está  onde deixá-lo depois do período que acaba as aulas e eu preciso ficar em reuniões. Daí apareceu para mim um termo novo e muito comum no bairro: as cuidadoras de crianças...
Não se trata de babás, mas de mulheres que dispõem de suas casas e tempo e cuidam de diversas crianças, buscando nas escolas e levando-as também, sendo uma alternativa para pais que não têm condições de pagar uma escola particular. No bairro que leciono existem muitas delas, e foi uma alternativa que surgiu para deixá-lo caso eu o matricule na minha escola. Porém está muito díficil para mim decidir, vale a pena deixá-lo com alguém desconhecido, vale a pena começar de novo a adaptação, a correria, a dúvida em ter que pensar onde deixá-lo quando precisar, por outro lado, estará pertinho de mim novamente, mas fico pensando a escola particular nesta idade é um investimento nos estudos dele? Embora minha escola possui uma metodologia muito boa.... Enfim não consigo achar uma resposta, não consigo tirar esse aperto do meu coração e ainda não sei o que farei.....

* Juliana é mamãe do Filipe 24hs

Assim como Juliana, você também pode particippar deste cantinho como colaboradora, envie seu email para recantodasmamaes@yahoo.com.br

Beijos,
Equipe do Recanto

VEJA MAIS POSTAGENS

9 comentários

  1. Querida Juliana,
    Seu coração de mãe está dividido entre o que quer e o que deve fazer. Também sinto essa angústia em relação a outras situações com a minha filha!
    Certamente seu coração lhe dará a melhro resposta. Dizme que a razão vem à frente da emoção e que por isso a cabeça está acima do coração, mas todas as vezes que sigo meu coração dá certo, pois é Deus quem toca nele.
    Torço para que tudo dê certo.
    Amei esse blog.
    Bjos

    ResponderExcluir
  2. Juliana, quando tive minha filha eu não tinha a oportundade de pensar em uma creche pois os horários de trabalho com destas instituições eram incompatíveis. Sem titubear coloquei-a em uma instituição particular e quando ela começou na primeira série foi quando enfrentei o dilema que está enfrentando agora. No ano que antecedeu a esse meu dilema aconteceram muitas greves em meu Estado, por isso após pensar muito eu e meu marido optamos pela instituição particular justamente pelo fato de que se a deixassemos em um lugar com 1 pessoa e esta pessoa adoecesse ficariamos na mão neste periodo, já se a deixassemos em uma escola, ele dariam um jeito de repor a ausencia da pessoa enferma, o que não afetaria os nossos dias de trabalho. Veja fizemos pensando apenas na praticidade, pois não tínhamos outra forma de fazê-lo. Com esse meu comentário só quero te dizer que a melhor decisão é aquela que você sentir que é a melhor, faça de coração aberto sem se pressionar. Pressão é inimiga do bom senso.
    Tenha um ótimo ínicio de semana
    Abraços

    ResponderExcluir
  3. Não sei o que lhe dizer.
    Acho que filhos devem permanecer o máximo de tempo sendo criados pela família.
    Alguém, como tua mãe, não teria essa disponibilidade?
    Se não, o que poderia lhe dizer é que você tem que pesquisar muito, saber o nível de segurança do local, quantas crianças são para cada adulto (A lei é 7 crianças para cada adulto).
    Portanto, mesmo as cuidadoras de crianças tem que respeitar essa lei. Não podem cuidar de 9 ou 10 crianças. Ainda mais pequenas assim.
    Muita paciência e oração te ajudará.

    ResponderExcluir
  4. Juliana...acho que vc deve pesar tudo em uma balança...condições financeiras X bem estar do bebe X comodidade X qualidade de ensino...
    Tudo deve ser estudado...eu terei Sofia logo logo...ficarei com ela até novembro deste ano...Ela ficará então até Janeiro do ano que vem com minha sogra...depois por mais q vai apertar o orçamento ela ficará em uma escolinha particular,sou professora do municipio e sei que aki as creches são horriveis(nem todas mais)as cuidadeiras nao confiaveis e deixar com mãe e sogra estraga a criança...então conheço uma escolinha otima e nao tao cara onde ela ficará o dia todo!
    Pense pese tudo numa balança e boa sorte!

    ResponderExcluir
  5. Querida Juliana,
    Conversar com outras mães vai te ajudar a decidir. É muito importante pensar sobre o contra-turno da escola, informe-se melhor sobre essa cuidadora, a idéia parece boa, tem que ver na prática.
    Agora, se você pensar numa coisa, que a primeira infancia e a educacao b;asica sao os alicerces da vida adulta...nao posso te dizer o que fazer, mas posso dizer como eu e meu marido fazemos, vamos cortar o que for preciso para ele sempre ter o melhor em termos de cuidados. Para isso trabalhamos muito, e eu ainda fico algumas horas com ele de manhã e à tarde, o que limita minhas horas de trabalho e é claro meus rendimentos...pois sou consultora e trabalho por projeto e por hora. Então agora eu aceito menos projetos...mas por outro lado com a maternidade me tornei uma profissional melhor, isso é nítido.

    ResponderExcluir
  6. E pense sempre que voc6e pode mudar! Faça uma experiência.
    Um abraço e boa sorte

    ResponderExcluir
  7. Decisão difícil, com certeza.... no meu caso, sou desconfiada demais pra deixar meu filho na casa de uma pessoa "estranha", sem a "garantia" de uma empresa fiscalizada, como no caso das escolinhas, sabe? mas é uma decisão de cada uma mesmo.. ;o))

    ResponderExcluir
  8. Olá Juliana!
    Fico com o coração apertado só em pensar em você e esse dilema.
    Mas que Deus possa te ajudar, te orientar, pois o cuidado com os nossos filhos não tem preço.
    Se a tua mãe ou sogra pudessem te ajudar e ficar com ele no período que você tem reuniões seria muito melhor do que alguém que você não conhece.
    Beijos e tudo de bom!

    ResponderExcluir
  9. Concordo com a "Baby Cebolinha" ... não confiaria meu filho nas mãos de uma estranha.
    Tive uma babá que dopou meu filho e ele quase morreu sufocado, depois disso´, passei a preferir lugares registrados (escolas) que sofrem fiscalização, possuem várias pessoas de olho etc.
    E tem mais, as escolas/creches possuem profissionais que vão estimular o desenvolvimento do seu filho com brincadeiras adequadas à cada idade. Uma "tomadora de conta" tem esse preparo ???
    Torço para que vc encontre uma solução que deixe seu coração de mãe tranquilo.
    Bjks e depois conta o que decidiu. ok?
    Bjks

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar, ficamos felizes!