alimentação

Mudança de habitos

segunda-feira, julho 09, 2012Lauri Sousa


Há uns dias atrás passei por um super susto com o meu filho, até comentei com as meninas da equipe sobre esses instantes de terror by mamãe de primeira viagem:

O meu filho ficou a parte da manhã toda sob os cuidados do pai, e acabou comendo algumas "pequenas bobagens" com ele.  À tarde fiquei com ele, e enquanto ele dormia notei que ele estava fazendo um barulho como se estivesse engasgando, fui olhar e ele acordou reclamando de dor na barriga, levantei a blusinha dele para olhar e levei um susto: estava enorme, muito inchada. Levei ele imediatamente para o hospital porque nunca tinha visto meu filho daquele jeito. Para encurtar a história, o problema eram apenas gases, graças a Deus.

Mas daí o pediatra aproveitou a ocasião para dar umas orientações puxões de orelha sobre a alimentação do Daniel. O pediatra é um senhor bem tranquilo, sempre atencioso com a gente, e ele falava olhando bem nos nossos olhos como se quisesse se certificar de que estava sendo compreendido, e a conversa durou bem uma meia hora, no mínimo.
Comentou com a gente sobre o quanto os tempos mudaram, sobre a quantidade de pacientes que ele tem tão novos e com colesterol alto, “mais alto do que o meu”, ele dizia inconformado.  E não só pacientes obesos, muitos magrinhos também.

Aquele assunto realmente mexeu comigo, estava doida para encerrar a conversa e voltar para casa, fiquei pensando na dor daqueles pais e nos exames que as crianças teriam que se submeter... criança detesta injeção, imagina ter que tirar sangue a cada seis meses até controlar o colesterol...
O colesterol alto não traz problemas imediatos para as crianças e adolescentes. Mas quando fica sem tratamento, aumenta o risco de doenças cardíacas na fase adulta.

Já há algum tempo estamos trabalhando para mudar os hábitos alimentares do Daniel e os nossos também, confesso que não era nada muito certinho e com compromisso, mas agora vai ser para valer, gradualmente é claro, mas bem certinho.

O Daniel tem um encaminhamento para nutricionista, mas mesmo antes de passar por lá, já estamos mudando algumas coisas e vendo que não tem sido tão absurdamente difícil assim. 
Ele sempre teve muita resistência em comer folhagens e outros legumes verdes como couve, espinafre, alface, brócolis... falava que era árvore, por isso não queria.

Então, inspirada no purê tricolor que a Chris Ferreira postou aqui a um tempo atrás, eu comecei a inventar pratinhos especiais para ele, eu faço sempre as saladinhas para ele com cara de palhaço, sempre monto as verduras no pratinho dele em formato de bichinhos também... e tem dado muito certo. 
E também uso a sinceridade:
“olha filho, você tem comer senão vai ficar dodói e vamos ter que voltar no médico....”
Também coloquei em prática algumas dicas do pediatra:

- 50ml de água a cada hora ( não esperar sentir sede porque a sede já é sinal de que o organismo não está bem)
- cortar os enlatados, embutidos, temperos prontos
- preferir sempre o natural, evitar frituras, gorduras
- queijo branco, evitar os amarelos
- eliminar os refrigerantes e sucos industrializados
- ovos (que ele adora), só cozidos e duas vezes na semana.
- fugir dos fasts-foods (essa parte é a mais difícil...rsrs)

A mudança na alimentação precisa ser gradual, alguns alimentos como pacote de salgadinho podem ser retirados e substituídos por outra coisa, já outros alimentos precisam ser  retirados aos poucos, nem tudo pode ser totalmente restringido de uma vez.
(palavras do pediatra)

Beijos e ótima semana!

Lauri
laugsousa@yahoo.com.br

VEJA MAIS POSTAGENS

8 comentários

  1. Excelente o texto! Apesar da minha bb ter apenas 1 ano e 9 meses e se alimentar bem, andou me pedindo "coca-cóia" e eu quase infartei! Pq nunca demos refrigerante pra ela aqui em casa e ela não gosta de doces. O fato é que alguém deu e ela adorou! Parece que a tendência para gostar de besteiras é genética..rsrs Temos que nos preocupar sim e fazer a nossa parte! bjs

    ResponderExcluir
  2. Oi Lauri querida!
    Esse assunto tem mesmo que ser abordado, pois precisamos nesses primeiros anos de vida introduzir bons hábitos alimentares nos nossos filhos, pra no futuro eles gostarem de comer comidas saudáveis.
    Que bom que com o Daniel foi só um susto, mas serviu de alerta e o médico aproveitou pra falar da importância da alimentação correta.
    Um beijo e vamos que vamos sempre procurando melhorar.

    ResponderExcluir
  3. Oi Lauri ... muito legal falar sobre isso! Quando a gente vê o relato de uma mãe conseguimos entender melhor do que apenas um monte de dicas de médicos e nutricionistas!

    Eu como tudo errado, marido também mas Sophia aprendeu na escola a comer direito! Ontem mesmo fomos lanchar com amigos e eu pedi refrigerante para ela, e ela rapidamente me interrompeu e pediu um suco ... posso com isso?!?

    Ainda bem que foi um pequeno susto com o Daniel né, mas fica de alerta né?!

    Beijos, Má
    monmaternite.com

    ResponderExcluir
  4. Muito bom o post! Acho que passamos por essas situações pra justamente pararmos um pouquinho e nos reavaliarmos. Aqui em casa aconteceu quando o VH tinha 11 meses, e devido à APLV, mudamos radicalmente a nossa alimentação. Hoje, amparados por uma nutricionista, com acompanhamento semestral de vitaminas através de exame de sangue, temos uma alimentação super bacana aqui em casa. E o melhor, VH e AC adoram comer de tudo! Até coisas que eu e meu esposo torcemos o nariz, eles comem de se lambusar! Mas... coisa que eu sempre escutei e nunca acreditei (hoje eu acredito! ahaha) que os filhos seguem o nosso exemplo, então, como sei que vc é uma mãe muito atenciosa, tenho certeza que o Daniel vai adorar a mudança de hábitos... Beijos Lauri e equipe Recanto!

    ResponderExcluir
  5. Adorei o post, com certeza vou testar a receita, com certeza vou adorar.
    beijos
    maede4princesas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Muito importante ter essa consciência e colocar em prática. Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Super bacana!!! Nada como incentivar a boa alimentação e a ingestão de água desde pequenininho! Parabéns!
    beijos
    www.jeitinhos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar, ficamos felizes!