dieta Mamãe Andréia

Você desconta frustrações na comida?

quinta-feira, março 13, 2014Andreia Sales


Depois de um dia ruim você pensa que merece comer aquela barra inteirinha de chocolate ou um pote de sorvete para aliviar as frustrações? No meio da noite a insônia não te deixa em paz e abrir a geladeira para encontrar um petisco parece o melhor remédio? É, todo mundo já passou por uma dessas situações, mas se esse comportamento se repete a cada dificuldade, cuidado: você pode estar descontando todos os problemas na comida.

De acordo com a nutricionista Anize Delfine von Frankenberg, essa ligação emocional com a comida pode se transformar em um ciclo “Quanto mais elevada a carga glicêmica da refeição, mais condições de promover a produção de serotonina (o famoso hormônio da felicidade) e a melhora da sensação de frustração”. Ainda que essa seja uma questão esclarecida, ela completa que esse “bem-estar é acompanhado de uma sensação de culpa pelo consumo excessivo. Assim, a culpa gera novamente a sensação de frustração e, consequentemente, a busca por alimentos palatáveis e ricos em carboidratos para alívio da sensação ruim”.

A raiz do problema

Entendida a parte “química”, é necessário perceber como a comida se torna uma válvula de escape da sua vida. O psicólogo Paulo Tessarioli aponta que este comportamento pode ter raízes na infância. “Quando os pais criam a criança na base do ‘se fizer direito, vai comer aquele doce que você gosta’, ou ainda ‘se comer tudo, vai ganhar sobremesa’, o indivíduo aprende a se recompensar por sacrifícios com doces. A diferença é que passa a compensar a si própria”, explica.

O profissional diz, no entanto, que, de imediato, a relação com outros prazeres deve ser investigada. Afinal, o prazer conseguido com a ingestão dos alimentos pode ser conseguido por outras formas (dormindo ou fazendo sexo, por exemplo). “É importante pesquisar junto com a pessoa, porque ela não tem consciência do que as coloca nesta situação”, afirma o psicólogo.

Dependendo do grau de compulsão alimentar, Tessarioli diz que o contexto também deve ser levado em consideração no tratamento. “Às vezes, quando a pessoa desconta na comida, costuma fazer sozinha, porque sabe que tem algo de errado. Então, se julga, pode ficar deprimida e comer ainda mais”, orienta.

Geladeira amiga

Quer incluir na dieta alimentos que ajudem a produzir serotonina sem prejudicar a saúde e a silhueta? A nutricionista Anize conta que alguns alimentos que podem contribuir são a banana, o damasco, as castanhas, as nozes e as amêndoas. Mas ela ressalta: “o cuidado para não excluir completamente os carboidratos da dieta também é importante. Isso por que a exclusão desse nutriente pode gerar ainda mais angústia e episódios de compulsão”.

Ela também recomenda não ter em casa chocolates, sorvetes ou outros alimentos típicos de quem come para espantar o vazio. “Afinal, se o acesso é mais fácil há mais chances de um episódio compulsivo. Nada melhor do que um acompanhamento psicológico aliado a uma dieta equilibrada e individualizada para as pessoas que sofrem de compulsões alimentares para resolver as frustrações”.

Fonte: DaquiDali

 Esse foi o meu recado de hoje.
Andréia Sales

VEJA MAIS POSTAGENS

3 comentários

  1. Menina, me vi nesse post. Eu sou uma dessas pessoas que desconta na comida... muito boas as dicas de substituições da nutricionista. Bjs, Lu
    www.soumaededoisanjinhos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. irei atrás dela já
    nozes e amêndoas
    vem cá rs

    Nanda
    beijokas
    Lindo dia

    Sendo a mãe da Isa e da Gabi
    Google+Nanda

    ResponderExcluir
  3. Não era assim não, mas ultimamente a comida tem sido minha melhor amiga! kkkkkkkk
    Nessas horas é tentar optar por coisas saudáveis!
    Senão quando ver esta com a ponteira da balança la em cima rs!
    Bjs

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar, ficamos felizes!